sexta-feira, 31 de dezembro de 2010

Melhorar o Mundo na Escola - Vencedor do concurso

Finalizada que está a votação no concurso Melhorar o Mundo na Escola,  anuncio aqui a vencedora, que foi a Sónia Da Veiga, com o texto que a seguir transcrevo novamente:



Existe a necessidade de fazer as coisas de maneira diferente”, “à século XXI”, de questionar todos os dogmas, tudo o que é “dado adquirido”, e esta deve ser enfatizada, seja através do uso de exemplos globais (como o aquecimento global e a crise económica e social), seja de exemplos locais, que apelem ao sentimento de pertença na sociedade e à comunidade onde se inserem em particular. 

Assim, com a orientação do professor, poderão ser abordados temas como Sustentabilidade/Transição, Cidadania/Solidariedade e Poder Individual/Comunitário. Os alunos deverão escolher um tema que lhes interesse particularmente, ou seja, uma situação que os preocupe ou iniciativa que queiram divulgar baseando-se nas suas aptidões/dons e na sua experiência pessoal (p.e.: barreiras arquitectónicas por próprio/familiar deficiente, divulgação da arte como forma de expressão se pratica “ballet”, ensino de técnicas de sobrevivência se escuteiro/guia, divulgação de iniciativa de solidariedade se próprio/familiar voluntário, etc.) e, na aula que lhe corresponda, explicar o seu ponto de vista e propor uma estratégia para a sua resolução. Após isso, como um grupo (que inclua e não seja “liderado por” o professor), deverão estabelecer um plano de acção que será levado a cabo por todos numa aula prática na escola ou fora dela. O colocar em prática os seus planos, a interacção com a comunidade (escolar ou não) e a, divulgação das suas iniciativas (na escola, a nível local, nacional ou mesmo internacional - aproveitando o uso da internet, incluindo as redes sociais), leva-os, não só a conhecer e a respeitar pontos de vista diferentes, mas também a compreenderem que cada um detém o poder da mudança positiva em si. 

Apenas sentindo-se cidadãos, os adolescentes poderão vir a ser mais interventivos na sociedade."
Sónia Da Veiga

Parabéns Sónia, enviarei em breve pelo correio o merecido livro "Desenvolvimento Sustentável - Uma Introdução Crítica", de Valdemar Rodrigues, que sei que gostarás. Espero que esta tua ideia chegue onde possa ser posta em acção. Não há dúvida de que a responsabilização dos alunos é uma maneira forte de mudar o mundo na escola. E o melhor exemplo é o de Kiran Bir Sethi, cujo vídeo  no TED deixei no post original do concurso (aqui), e que volto a incorporar para quem não viu.



Agradeço também a colaboração da Maria Letra, da Elisabeth Oliveira, e do Diogo Rocha , cujos textos, assim como o da Sónia Da Veiga, foram um importante e válido contributo para a discussão sobre o mundo das nossas escolas. Obrigada a todos os que participaram através do seus comentários, votos e divulgação do concurso.

E para finalizar, transcrevo parte do comentário da Maria Letra, para que reflictamos no novo ano que bate à porta:

"ENQUANTO NÃO PERCEBERMOS QUE OS NOSSOS PROBLEMAS ESTÃO NA BASE, VÍTIMA DE CERTAS RAIZES APODRECIDAS, NÃO VAMOS LONGE. REMENDAR, NÃO RESOLVERÁ, ABSOLUTAMENTE, NADA. TEREMOS DE ESCAVAR PARA CURARMOS RAIZES PODRES.... E, PARALELAMENTE, EVITARMOS QUE OS NOSSOS MALES ALASTREM, ENQUANTO APLICAMOS NOVOS SISTEMAS DE EDUCAÇÃO E DE VIDA. TUDO O QUE POSSAMOS FAZER PARA REMEDIAR CONSEQUÊNCIAS, SÓ RESULTA SE FORMOS À BASE."

7 comentários:

  1. Parabéns, Sónia Da Veiga!
    Tal como referi, no meu comentário, gostei muito do seu texto. Se eu não tivesse participado, teria votado no seu o qual, de forma perfeita, dentro da limitação no número de palavras a usar, imposta pelas regras do concurso, foi o melhor, quanto a mim, a despeito da minha opinião sobre a resolução dos problemas globais existentes nas escolas, ser outra. Entendo que os problemas das escolas são uma consequência de males maiores e, como tal, defendo que para resolver aqueles problemas, haverá que neutralizar, da melhor forma possível, as causas que os provocam e que não começarão na escola, certamente. Nós podemos ouvir os alunos, concerteza, mas se não considerarmos que muitas das suas lamentações, têm raiz mais profunda, não iremos a lado nenhum.
    De qualquer forma e, muito sinceramente, Sónia, o seu texto mereceu a posição que alcançou.
    Os meus cumprimentos, também, para Elizabeth Oliveira e Diogo Costa, por terem trazido a discussão dois importantes tópicos.

    ResponderEliminar
  2. Excelente o texto
    Excelente a ideia
    A sua viabilidade prática só poderá tropeçar no receio do professor em sentir o embaraço da sua própria incapacidade para gerir a imprevisibilidade dos processos criativos...

    Não sei, mas muito provávelmente "para o ano que vem" retomo o tema (sabia que tenho uma paixão por temas de educação?)

    Felíz Ano Novo
    (se quiser aparecer tenho lá qualquer coisa para beber...)

    ResponderEliminar
  3. Maria Letra

    Muito obrigada pela colaboração preciosa que deu a este concurso, participando com um texto e através dos seus comentários.

    Sei que temos de fazer algo para que a educação em Portugal mude, porque ela está muito doente. Mas temos de ir aplicando remédios para que a doença não se agrave, não se estenda, porque também acho que o problema maior é de raíz.

    A crise de valores que afecta os adultos, pais e professore, e que chega às escolas, é um mal muito poderoso, mas que não poderá ser extirpado de uma vez, pois cobre toda a sociedade...

    Mas continuemos a ter esperança nas crianças: são a nossa única esperança!

    Beijinhos e obrigada por tudo!

    ResponderEliminar
  4. Rogério

    Concordo! E fico a aguardar que fale no tema, espero que não me passe ao lado :)

    Já fui lá "beber um copo", mas desta vez, não estava nada avinagrado :)

    Obrigada e um bom ano novo para si também.

    ResponderEliminar
  5. Obrigada!!! :-D

    Obrigada a todos os que acharam que as minhas ideias são válidas, mesmo que sejam só um paleativo para a epidemia que alastra na educação. Só espero que ninguém tema pô-las em prática por ser imprevisível como sugeriu o Rogério, porque, segundo a teoria do caos, TUDO é imprevisível...

    Maria Letra: partilho da sua ideia de ser necessário ir à raíz, mas também acredito que, com a correcta enxertia, conseguimos colher bons frutos e vir a ter árvores ainda mais fortes, mesmo que demore um bocado. Como diz a Manuela "as crianças são a nossa única esperança!"

    Bom ano para todos e, mais uma vez, um grande muito obrigada!

    ResponderEliminar
  6. Já chegou o prémio!!!
    Vinha MUITO bem acondicionado e com uma dedicatória muito bonita! :-)

    Obrigada Manuela! :-)
    E obrigada também a todos os que me deram a honra de ganhar este fantástico prémio!

    ResponderEliminar
  7. Sónia
    Ainda bem que chegou são e salvo ;)
    Vai ver que é um livro muito bom.

    E eu é que agradeço ter enriquecido este blogue com a sua participação :)

    Beijinhos

    ResponderEliminar

Obrigada por visitar o blogue "Sustentabilidade é Acção"!

Agradeço o seu comentário, mesmo que não venha a ter disponibilidade para responder. Comentários que considere de teor insultuoso ou que nada tenham a ver com o tema do post ou com os temas do blogue, não serão publicados ou serão apagados.