segunda-feira, 17 de agosto de 2009

O novo colonialismo - landgrabbing

Um novo e feroz colonialismo ameaça o equilíbrio já tão precário deste planeta, agravando a injusta distribuição de riqueza, agravando as emissões de CO2 para a atmosfera devido a transportes, e com certeza não melhorando as condições de vida de povos que já não as têm dignas.

Com o objectivo de cultivar terras para alimentar os seus próprios países, ou, muito pior, para a produção de bio-combustíveis, grandes empresas compram autênticas regiões nos países pobres de África, Ásia e América do Sul com promessas de desenvolvimento económico local, mas que, sem qualquer controlo, serão apenas modos de elas próprias enriquecerem, contribuindo para o esgotamento de recursos e desequilíbrios dos ecossistemas dos países ou regiões alvos. Em risco ficam a alimentação dos locais, que sobreviviam do cultivo dessas terras, a integridade dos ecossistemas, pela utilização de monoculturas, pelo uso excessivo de pesticidas e fertilizantes, a água, que para além do risco de poluição fica sujeita a esgotar através do "watergrabbing"

Melhor do que eu poderia dizer, vou transcrever parte de dois artigos em dois blogues que sigo, que valem bem a pena serem lidos integralmente:

De Rui Herbon, em A Escada de Penrose:
"Landgrab e landgrabbing são dois termos que aparecem frequentemente nas notícias, em especial nas que se referem a África, e aos quais convém encontrar equivalentes em português, já que se referem a problemas que não só não vão desaparecer da actualidade, senão que podem adquirir especial importância. Ambos têm que ver com a ocupação de terras, como a dos portugueses no Brasil, por exemplo, ou a dos europeus em África, quando repartiram o continente. Só que agora não se trata de uma conquista pelas armas, mas pelo dinheiro, que permitiu que uma série de países ricos tenham conseguido o controlo de 15 a 20 milhões de hectares na Ásia, América Latina e, sobretudo, em África. ..."
Continuar a ler aqui.

De Octávio Lima, em Ondas 3
"Um novo tipo de colonialismo avassala o mundo, com os ricos a tomarem posse de terras em países pobres e famintos para produzirem alimentos de que necessitam em troca de alegados empregos e investimentos em infraestruturas, escreve o The Independent, de Domingo, 9 de Agosto. Tudo através de acordos secretos com os governos locais. ..."
Continuar a ler aqui.

A notícia em The Independent analisa a questão em vários aspectos - políticos, económicos, sociais e ambientais, e conclui:
"Food touches something very deep in the human psyche. Do not expect either side to give up without a fight"


E terão capacidade de luta esses povos pobres, pela sua terra e pelo seu próprio alimento se não forem ajudados por organizações internacionais?

Fontes: The Independent, blogue A Escada de Penrose e blogue Ondas 3; Imagem: The Independent

24 comentários:

  1. Olá Nélinha, esta é das coisas que mais me toca. vou repetir-me no comentário que deixei na ESCADA DE PENROSE... É que isto, é já conversa muito séria... pelo menos para mim, aí vai:
    Mas, como eu já tinha andado por aí a investigar, o açambarcamento do petróleo e das redes de pipelines, constatei que os pipelines são mistos, incorporando os de petróleo, gás e água. Está previsto que até 2020, toda a água potável do Planeta será pertença dos senhores do Mundo. Até agora ninguém acreditou!
    Com esta tua exposição, pode ser que comecem a ver, o que vai ser a realidade do ser humano daqui para a frente.
    Entretanto andaram distraídos com TV´s PSP´s, férias em lugares paradisíacos, desportos, casas, carros,e etc. etc., etc.- ALIENAÇÃO!
    Esta crise foi a aurora daquilo que Eles se propuseram: Uma Guerra Mundial em grande escala.
    1º lucrar com a venda de armas.
    2º eliminar a super população.
    3º implementar a polícia mundial a ONU.
    4º impor uma ditadura mundial.
    5º Nova Era!

    Não esquecer que em 2008 foi o ano que se venderam mais armas á escala mundial. No topo temos a China, seguida dos EUA em 3º a Europa. Agora sabemos porque desapareceu o dinheiro da banca.

    Não esquecer também, que quem tem dinheiro a mais, faz negócio sujo e perigoso para as massas. O intuito principal, é manter as Massas distraídas e ignorantes.
    Na educação e Mass Mídia é gritante!

    ResponderEliminar
  2. Subscrevo todo o alerta relacionado com o Neocolonialismo agrário [mais aqui: http://pt.mondediplo.com/spip.php?article451&var_recherche=neoliberalismo%20agr%C3%A1rio ], contudo, permita-me que discorde em relação ao mito CO2.
    Está cientificamente provado que o incremento de CO2 na atmosfera faz desenvolver mais depressa a vegetação, isto é, o Carbono volta a ser fixado pela natureza num processo que favorece a manutenção de um equilíbrio, como se pode constatar aqui: http://antonuriarte.blogspot.com/2008/12/hermosura-de-rboles.html
    Quanto a gases de efeito de estufa (será?) propriamente ditos [nunca ninguém explica (quantificando) o efeito de estufa], há muitos, a saber: dióxido de carbono, metano, óxido nitroso, perfluorcarbonetos, clorofluorcarbonetos, hidrofluorcarbonetos, hexafluoreto de enxofre e principalmente o vapor de água!
    Pois…
    De volta ao mito – CO2 – mais comummente conhecido e desancado: como afirmei no início deste meu comentário, na verdade o dióxido de carbono é essencial à vida no planeta. [ http://pt.wikipedia.org/wiki/Di%C3%B3xido_de_carbono ]
    E assim, relembro o processo de fotossíntese? [ http://pt.wikipedia.org/wiki/Fotoss%C3%ADntese ]
    Ora, no processo de fotossíntese as plantas libertam algumas substâncias de que não necessitam, como é o caso do oxigénio, absolutamente fundamental para a respiração dos seres vivos.
    Em suma, através da fotossíntese, as plantas absorvem a luz do Sol que fornece a energia necessária para a transformação da água e do dióxido de carbono em açúcar, ao mesmo tempo que eliminam oxigénio para a atmosfera. Todos ganhamos com o incremento de CO2 na atmosfera que por sua vez irá desenvolver mais depressa a vegetação, que “produzirá” mais oxigénio e mais energia com que também nos alimentamos sempre que adicionamos vegetais na nossa dieta. Não esquecer também que a natureza armazenou grandes quantidades de carbono nas reservas de carvão, petróleo, gás natural, etc… e ao consumirmos estas reservas, é lógico que a vegetação aumente para fixar mais carbono em substâncias orgânicas vegetais. Ponto assente: Natureza 1 - 0 para o mito dos Al-Gores e quejandos.
    Aproveito a oportunidade e deixo os links de alguns blogs de relevante interesse:
    http://ecotretas.blogspot.com/
    http://mitos-climaticos.blogspot.com/
    e muitos outros alertas, nomeadamente a nova (des)ordem mundial, aqui:
    http://ovigia.wordpress.com/
    cumpr.

    ResponderEliminar
  3. Agradeço os comentários, e à Paula Pereira a lição sobre fotossíntese. Só que não podemos entender o funcionamento da atmosfera a partir apenas de um único processo bioquímico. E os sites que refere, alguns deles já os conheço, são dedicados a divulgar que nada é preciso fazer por este planeta, porque tudo está muito bem, quem está mal é quem acha que há alterações climáticas e que é preciso proteger o planeta.
    Discordo dessa abordagem.
    As alterações ao equilíbrio do planeta são um risco para as espécies vivas, incluindo a nossa.
    Mas este "post" não é sobre o tema do aquecimento global nem das alterações climáticas.

    ResponderEliminar
  4. Manuela, agradeço a citação. Este é daqueles temas em que a comunicação social, nomeadamente a de serviço público, passa ao lado. Nesse sentido cabe à blogosfera divulgá-lo à generalidade dos cidadãos. Isto implica demasiadas coisas e não apenas a ecologia e a sustentabilidade: há aqui a questão da liberdade e da dignidade humanas, para além da mais abjecta forma de exploração capitalista. Espero que as pessoas tomem consciência e se revoltem. Na Suécia, como referi no meu post, funcionou.

    ResponderEliminar
  5. É assim mesmo menino RUI e NELA, importante é mostrar tudo o que nos querem esconder.
    PARABÉNS a ambos! :))
    Há sempre quem apareça por aqui a desestabilizar... que chatice!

    ResponderEliminar
  6. Boa tarde, Nelinha!

    Este é mesmo um assunto de grande importância: a nova fórmula da colonização mascarada.
    Também a mim desconcerta a indiferença quase total sobre esta realidade indecente.

    Esperava encontrá-la para dar-lhe, pessoalmente, os parabéns por este excelente blogue. Mas entendo que o lugar indicado é neste espaço.

    Leio sempre com grande interesse o que aqui é publicado. Repito: excelente!
    Um grande abraço

    ResponderEliminar
  7. A expansão destes ditos países desenvolvidos compromete o desenvolvimento e preservação do meio ambiente, sim! Mas é a expansão, transformação e contínua renovação do capitalismo, hoje pós-industrial que mais ameaça a biosfera, nessa relação de inclusão.

    Por isso não prego aqui o fim do capitalismo, início de um regime comunista, pois sei quais serão os argumentos contrários, no entanto, desejo que o homem mude seus hábitos, em primeiro lugar, e a informação tem uma grande parcela de responsabilidade nesse processo, claro a livre informação, ademais, faço minhas as palavras de Slavoy Gigek ao afirmar que o que o homem sempre desejou foi uma sociedade mais justa.

    Abraço
    Parabéns pelo blogue!
    aurasacrafames.blogspot.com
    Por uma sociedade melhor!

    ResponderEliminar
  8. «Só que não podemos entender o funcionamento da atmosfera a partir apenas de um único processo bioquímico.»

    Boas tardes,
    Efectivamente também não podemos entender que haja muita gente a viver (e bem) à custa do “aquecimento” global [o fundo que gere o comércio das emissões, gere fortunas incomensuráveis, e lucros idem, aspas, bem como os subsídios às “fontes alternativas”, nas quais a electricidade pode custar 10 vezes mais a produzir que nas “tradicionais].
    Enfim, queria apenas salientar que uma das técnicas mais conhecidas e usadas de manipulação de dados e consciências é a mistura de verdades (=poluição) em mentiras (=aquecimento).
    O facto é que sem CO2 NÃO HÁ VIDA.

    «Mas este "post" não é sobre o tema do aquecimento global nem das alterações climáticas.»
    Pois não é, embora se tenha referido a um dos muitos mitos que as elites adoram flagelar: «(...)agravando as emissões de CO2 para a atmosfera devido a transportes(...)» que tomei a liberdade de tentar clarificar.

    E não, não são apenas os transportes, mas toda a actividade industrial: agrícola, alimentar, têxtil, química, electrónica/informática [aqui veja-se o problema da tecnologia electrónica e similares - quanto mais eficiente e sofisticada é a tecnologia final, mais raras são as matérias-primas usadas e mais danosa a sua extracção e produção. Exemplo: “Coltan”, usado como matéria-prima para a indústria electrónica (incluindo os famosos carros eléctricos)].

    «As alterações ao equilíbrio do planeta são um risco para as espécies vivas, incluindo a nossa.»
    Sobretudo o consumismo desenfreado (chamado progresso) que trouxe “necessidades” diferentes ao homem pós-moderno, ou seja hoje consumimos sem real necessidade, ou felicidade. Comemos demais, exercitamo-nos de menos, respiramos mal porque a vida que levamos nos transformou em neuróticos. Temos cada vez menos tempo para nós ou para socializar. Compramos “coisas” para nos evidenciarmos, esquecendo os simples prazeres da vida.
    Afinal de contas, consumimos apenas para que a máquina que montámos não pare e nos mergulhe no caos económico.
    É este consumo artificial que nos irá soterrar a todos sob uma enorme pilha de LIXO. É este o verdadeiro problema que não assumimos. Nada mais.
    cumpr.

    ResponderEliminar
  9. Paula Pereira
    Preocupe-se mais com a água que vai acabar, porque a PREDAÇÃO CAPITALITA, já tem "barbas"... desde a Revolução Industrial e se não forem uns, são outros. A questão é divulgar e tentar dar essa informação! Ponto
    Este blogue já desenvolveu por demais essa matéria!

    ResponderEliminar
  10. Amiga Manuela,

    Este é um assunto no mínimo assustador.
    Ainda não tinha tomado plena conciência deste facto e estou completamente alarmada.
    O que fazer??? Como impedir e especialmente como minimizar ou preferencialmente restaurar o mal já feito???

    Como posso ajudar? Diga-me, por favor.

    Mande-me por e-mail em formato HTML para que possa postar mais facilmente, vou falar com o João Soares.

    Beijos.
    Fernanda

    ResponderEliminar
  11. Caros amigos e colegas da blogosfera
    É bem preciso que as pessoas saibam deste novo colonialismo, que o denunciem, que chegue aos políticos e às altas esferas do poder para que saibam que não estamos cegos e surdo-mudos. Por isso, bem precisa de ser divulgado.

    À D. Alda Maia e ao Aura Sacra Fames agradeço as palavras que aqui deixaram e os parabéns pelo blogue, sempre dão força para continuar.

    À amiga Fernanda, agradeço também o interesse neste tema, já lhe enviei o texto por e-mail.

    Ao Rui Herbon, obrigada por ter levantado o tema na parte da blogosfera que conheço.

    À querida mana Fada do Bosque, um obrigada especial por sempre estar aqui a dar apoio.

    À Paula Pereira, obrigada pela sua participação, é na troca de ideias diferentes que mais se aprende.
    Temos opiniões diferentes sobre o papel de CO2 na atmosfera, mas em relação ao que penso sobre isso pode ler aqui:
    Aquecimento global...
    Não falei aqui ainda no negócio das energias alternativas, pois ainda não tive oportunidade, mas um dia lá irei.
    Sobre o consumismo, este blogue tem pelo menos estes "posts":
    A Moda e o Consumo...
    A História das Coisas
    Sobre democracia na economia:
    Democracia económica
    Sobre o lixo:
    Todos inocentes...
    Oceanos saudáveis...
    Se não forem eles...
    Este blogue pretende divulgar informação acessível para tentar contribuir para modos de vida mais sustentáveis, limpos amigos do ambiente e da humanidade. E também chamar a atenção para injustiças e o que vai mal.
    Na minha opinião, o excesso de CO2 na atmosfera é poluição. Pode ter uma opinião diferente. Tem o direito à sua, e eu tenho direito à minha, com o devido respeito, já que não há "verdades" científicas que não se possam pôr em causa.


    A todos, obrigada por partilharem as vossas ideias aqui neste espaço.

    ResponderEliminar
  12. UUUIIII Mana, isso é que é escrever! :)

    Não tem que agradecer... é por gosto! :)

    ResponderEliminar
  13. «Preocupe-se mais com a água que vai acabar, porque a PREDAÇÃO CAPITALITA, já tem "barbas"(…)»

    Cara Fada do Bosque, preocupe-se também mais com a “predação capitalista” e decerto que a água e tantos outros elementos essenciais à vida não seriam colocados em perigo. Ou antes, se o neoliberalismo selvagem/globalização não fosse tão ganancioso, cego e autista já imaginou como muitos dos problemas que enfrentamos hoje não existiriam? Também tem "barbas"...

    Dou-lhe o exemplo dos EUA (o maior predador de recursos de água potável no mundo e não só!) onde a maioria dos rios, barragens e demais recursos aquíferos têm sido mal usados, desperdiçados e totalmente contaminados com muitos poluentes, entre eles os pesticidas - recomendo o visionamento de “The World According to Monsanto”, aqui: http://wideeyecinema.com/?p=105 – mas, para além dos pesticidas estão também muitas outras actividades/indústrias que requerem e continuarão a requerer grandes quantidades de água potável, como a agro-indústria – ex: as "SmithFields food farms" (curiosamente relacionada com a gripe dos suínos) - as monoculturas, sobretudo ligadas aos biocombustíveis (outro hoax), etc… e a própria expansão urbana.

    Já reparou também como cada vez mais o bem mais que essencial – água – deixou de ser uma “coisa” pública e passou para concessões de gestão privada?! Por cá também!!! Porque será?

    «o excesso de CO2 na atmosfera é poluição. Pode ter uma opinião diferente.»

    Cara Manuela Araújo, infelizmente repito se vamos falar de poluição, vamos falar das indústrias: agrícola, alimentar, têxtil, química, electrónica/informática que contaminam os rios e os oceanos que por sua vez são os verdadeiros “pulmões” do planeta, com a ajuda preciosa das florestas.
    O problema está no crescimento da poluição dos oceanos e com ela estamos a reduzir a dita capacidade de filtrar o CO2 em excesso.
    Tudo o mais que se diz por aí pelos “ecologistas de treta” não é mais do que uma falácia, fraude, embuste, impostura, crime científico, cultural, político e económico de todo o tamanho!!

    E mais… já repararam que há 30000 cientistas, involuntariamente silenciados, a tentarem afirmar o contrário?!

    Vejam como Al Gore está a ser processado pelo enorme embuste, aqui: http://www.youtube.com/watch?v=fdRaxN5jUZE

    Urge efectivamente controlar a poluição neoliberal (não são só os popós e afins), a exploração de mão-de-obra e matéria-prima (no “terceiro-mundo” em geral) – estes é que são os paradigmas civilizacionais que jamais serão alterados porque não interessa aos interesses instalados.
    Cumpr.

    ResponderEliminar
  14. Amiga Manuela, bom dia!

    Consegui publicar no Sempre Jovens uma pequena introdução ao ao seu trabalho, com algumas alterações, como verá, mas com o link para o seu Blogue.

    Logo que tenha oportunidade verei o que está em Inglês e farei algo para o meu Diverse Texts and Stories.

    Beijinhos
    Fernanda ou Ná, como quiser.

    ResponderEliminar
  15. Amiga Manuela,
    Também já está no Diverse texts nas stories e no facebook.

    Beijinhos

    ResponderEliminar
  16. Amiga Fernanda

    Muito obrigada por divulgar este assunto. É bem preciso.

    ResponderEliminar
  17. Amiga,

    Faça-me um favor...quando lhe for possível passe pelo menos pelo Sempre Jovens, gostaria de conhercer a sua opinião sobre a forma como foi exposto o problema.
    Como entenderá, sendo um Blogue colectivo, há regras, uma das quais é o tamanho dos textos.

    Beijinhos

    ResponderEliminar
  18. Espero que o colega da blogosfera Octávio Lima (que julgo estar de férias), citado neste texto, não leve a mal que o volte a citar, agora a parte final do seu "post" sobre este assunto, mas penso que vale a pena ficar aqui também:

    "Imagine que a China, após negociações com um governo português ávido de dinheiro para cobrir a crise, comprava o Alentejo e colonizava-o com trabalhadores chineses, transformando o território num imenso campo de arroz e que enviava toda essa produção de arroz, durante 100 anos, para a China. Imagine que os portugueses, os media, de nada sabiam, que se contentavam com alegadas promessas de melhoramentos em estradas e empregos. Como se sentiria? Que dirão opinadores como António Vitorino, Luís Delgado, Pacheco Pereira, Miguel Sousa Tavares e quejandos?"

    ResponderEliminar
  19. E que me desculpe também o Rui Herbon, mas vou aqui também citar a parte final do seu texto do qual já citei o início. É que vale a pena reler e reflectir:

    "Cegos pelos efeitos de uma crise económica de origens financeiras que se apresenta como algo transitório, perdemos de vista o facto de que estamos também numa outra crise mais profunda e global: a dos recursos disponíveis para assegurar os níveis de vida do conjunto da humanidade. Deveríamos começar a pensar nisso para nos acomodarmos a novos padrões de vida, posto que a festa em que temos vivido até agora está prestes a acabar"

    ResponderEliminar
  20. É mana... respondeste bem!
    Parece que há muito interesse instalado, a querer deitar a realidade abaixo! Deve haver muitos rabos de palha, ou interesses financeiros também!

    ResponderEliminar
  21. Fada, não respondi a ninguém, e as palavras não são minhas. Só achei que deviam ficar aqui, para reflexão.

    ResponderEliminar
  22. Será que a ONU está atenta a esta situação? Ou vai deixar andar até ser tarde demais?

    ResponderEliminar
  23. A ONU está atenta à `militarização, dos corredores de pipelines em Países considerados hostis, como Rússia, Afeganistão, Uzbequistão, Irão, ou seja, andam a tentar entrar no domínio do OCX- CTSC, para concluir o PPS da NATO-EUA, sendo estes últimos blocos estruturais da NOVA ORDEM MUNDIAL. É nisso que está focada a atenção da ONU. Petróleo, Gás e Àgua!

    ResponderEliminar
  24. Sobre o LANDGRABBING vejam o vídeo com o caso de Cabo Polónio, no Uruguai, Património da Humanidade, a saque!
    No blogue de Ana Paula Fitas A Nossa CANDEIA - Critérios!?...
    Com boa música a acompanhar a reportagem de Manu Chao.
    Imperdível.

    ResponderEliminar

Obrigada por visitar o blogue "Sustentabilidade é Acção"!

Agradeço o seu comentário, mesmo que não venha a ter disponibilidade para responder. Comentários que considere de teor insultuoso ou que nada tenham a ver com o tema do post ou com os temas do blogue, não serão publicados ou serão apagados.