sábado, 22 de Novembro de 2014

Para a eternidade

antes referi este filme, nas razões de peso contra a energia nuclear. Agora chegou a vez de o colocar aqui. Para a eternidade (Into Eternity, 2010).

«O ano é 2010. Os estágios iniciais do mega projeto finlandês Onkalo está em processo de finalização, e que só deverá ser concluído e selado por volta de 2100. Essa é a base do documentário do cineasta dinamarquês Michael Madsen sobre o Projeto Onkalo, um deposito para dejetos nucleares cravado a 500m de profundidade em uma área rochosa na Finlândia. O diretor levanta questões acerca dos procedimentos a serem abordados pelos próximos 300.000 anos (essa seria a meia-vida dos elementos radioativos mais perigosos). 

Então, como estará a humanidade nessas próximas Eras? Qual linguagem a ser utilizada para evitar que ela seja reaberta? Será que deve ser esquecida por completo? Mas se alguém o achar? Ou ainda, continua a ser viável o uso de energia nuclear mesmo com os inerentes riscos de acidentes e/ou os destinos inadequados dos dejetos? Será que aprendemos o suficiente com Chernobyl e Fukushima? »




«Sinopse

Todos os dias, em todo o mundo, grandes quantidades de resíduos altamente radioativos dgerados em centrais nucleares, são colocado em armazenamentos intermediários, que são vulneráveis a desastres naturais, catástrofes provocadas pelo homem, e às mudanças sociais. Na Finlândia, está a ser construído o primeiro repositório permanente do mundo, cavado em rocha sólida - um enorme sistema de túneis subterrâneos - que deve durar 100 mil anos, já que este é o tempo que os resíduos permanecerem perigosos.

Uma vez que o lixo encha o repositório, a instalação deve ser selada e nunca mais ser aberta. Ou pelo menos assim o esperamos, mas poderemos garantir? E como é possível avisar nossos descendentes dos resíduos mortal que deixamos para trás? Como podemos impedi-los de pensar que encontraram as pirâmides do nosso tempo, cemitérios místicos, tesouros escondidos? Quais as línguas e sinais eles entenderão? E se eles entenderem, irão respeitar as nossas instruções? Enquanto máquinas monstruosamente gigantescas cavam cada vez mais fundo na escuridão, os peritos acima do solo esforçam-se para encontrar soluções para este crucial problema dos resíduos radioativos, para proteger a humanidade e todas as espécies no planeta Terra, agora e no futuro próximo e muito distante.

Cativante, maravilhoso e extremamente assustador, este documentário leva os espectadores a uma viagem ao submundo e ao futuro, como nunca antes visto.»


quinta-feira, 20 de Novembro de 2014

Pedido de socorro do Povo Masai


«Tanzânia quer expulsar povo masai e entregar terra ao Dubai para a família real caçar

Havia um acordo para não vender Maasai, uma terra na fronteira com o Parque Nacional do Serengeti, na Tanzânia. Mas o poder político parece ter mudado de ideias. O governo está a ser acusado de violar esse acordo. Uma petição global pode ser a última esperança dos masai. 

O povo masai recebeu ordens para abandonar o território até ao fim do ano, de forma a que a região se torne uma reserva natural para a família real do Dubai caçar.  

Em causa estão 40 mil pastores que vivem naquele território, segundo dados avançados pelo The Guardian.» 


**********************************************************************************************************************

«Caros amigos, 

Somos os anciãos da tribo Masai da Tanzânia, uma das tribos mais antigas da África. 
O governo acabou de anunciar um plano de remoção de milhares de Masais das nossas terras, para dar espaço para turistas endinheirados atirarem em leões e leopardos. E essa remoção forçada pode começar a qualquer momento.

No ano passado, quando a primeira informação sobre este plano vazou, quase um milhão de membros da Avaaz se uniram para nos ajudar. A atenção criada sobre o assunto forçou o governo a inicialmente refutar essa ideia e atrasar as negociações em torno deste plano por meses. Mas o presidente esperou até que a atenção internacional dimunuísse, e agora ressuscitou a ideia de tirar nossa terra de nós. Precisamos de sua ajuda novamente, com urgência.


O Presidente Kikwete pode não se preocupar conosco, mas ele mostrou que responde ao apelo da mídia global e da pressão pública! Pode ser uma questão de horas. Por favor, apoiem-nos na luta para proteger nossa terra, nossa gente e os mais majestosos animais do mundo e espalhem isso para todas as pessoas antes que seja tarde demais. Essa é a nossa última esperança:


Nosso povo vive nas terras da Tanzânia e do Quênia há séculos. Nossas comunidades respeitam nossos companheiros animais e protegem e preservam o delicado ecossistema. Mas, durante anos, o governo tem tentado lucrar com isso, oferecendo nossa terra para que reis e príncipes endinheirados do Oriente Médio possam matar. Em 2009, quando eles tentaram invadir nossa terra para abrir caminho para maratonas de caça, nós resistimos, e centenas de nós foram presos e espancados. No ano passado, os príncipes endinheirados atiraram em pássaros nas árvores a partir de helicópteros. Essa matança vai na contramão da nossa cultura.


Agora, o governo anunciou que vai desmatar uma faixa enorme da nossa terra em Loliondo para abrir caminho para o que se propõe ser um corredor de vida selvagem, mas muitos suspeitam queisso é apenas uma desculpa para dar fácil acesso a uma empresa privada estrangeira de caça, e aos seus clientes ricos, para atirarem em animais majestosos. O governo afirma que este novo arranjo é uma espécie de adequação, mas as consequências no modo de vida das pessoas da nossa comunidade serão desastrosas. Milhares de nós poderemos perder nossas raízes, nossas casas, os terrenos em que nossos animais pastam, tudo.


O Presidente Jakaya Kikwete sabe que este negócio vai ser polêmico junto aos turistas que visitam a Tanzânia – uma fonte importante de renda nacional – e não quer que um grande desastre de relações públicas aconteça. Se pudermos urgentemente gerar ainda mais indignação global do que geramos antes, e pautar a mídia sobre isso, sabemos que isso fará o presidente pensar duas vezes. Apoiem-nos agora para exigir que Kikwete dê um fim nessas barganhas:




Esta apropriação de terras pode ser o fim dos Masais nesta parte da Tanzânia, e muitos membros de nossa comunidade disseram que preferem morrer a serem forçados a deixar suas casas. Em nome do nosso povo e dos animais que pastam nessas terras, por favor, fiquem do nosso lado para mudar a mente do nosso Presidente.

Com esperança e determinação,

Os anciãos do povo Masai do distrito de Ngorongoro »


Mais informações



The Guardian: Tanzânia acusada de reverter acordo sobre terra ancestral dos Masais


The Guardian: a fúria dos Masai como plano para atrair turistas do Golfo Pérsico ameaça a sua terra ancestral (em inglês) 



allAfrica: Apropriação de terra poderá amaldiçoar o 'Fim dos Masaii' (em inglês)



IPP Media: Esforços frustrados de comunidade Masai para dar espaço à Ortelo Business (em inglês)



The Guardian: Tanzania refuta plano para expulsar Masai para caça da realeza (em inglês)

The Guardian: “Turismo é uma maldição para nós”(em inglês)

News Internationalis Magazine: “Caçados”(em inglês)

Sociedade para os Povos Ameaçados: informações sobre a remoção forçada dos Masai de Loliondo (em inglês)

FEMACT: Relatório feito por 16 pesquisadores de direitos humanos e pela mídia sobre a violência em Loliondo (em inglês)

domingo, 16 de Novembro de 2014

TTIP: "Deve ser travado enquanto é tempo"

"Maltratado

por Alexandre Abreu  (em Expresso 12/11/2014)

«O Tratado Transatlântico de Comércio e Investimento é o grande salto em frente das empresas transnacionais europeias e norte-americanas em resposta à crise, feito à custa dos consumidores, do ambiente, da soberania e das perspectivas de desenvolvimento de economias como a portuguesa. Deve ser travado enquanto é tempo.

Imagem daqui
À margem dos cidadãos, como já é hábito quando falamos de grandes decisões em matéria europeia, uma equipa de negociadores mandatados pelo Conselho Europeu tem vindo a negociar com os seus congéneres norte-americanos um acordo de comércio livre entre a União Europeia e os Estados Unidos conhecido por TTIP, ou Tratado Transatlântico de Comércio e Investimento . Para além da eliminação da maioria das barreiras tarifárias remanescentes, está em causa a eliminação de barreiras não-tarifárias ao comércio como as que advêm de diferenças regulatórias entre a União Europeia e os Estados Unidos. O assunto tem passado em geral despercebido, mas é uma questão de grande importância, que deve suscitar preocupação.

Imagem daqui
Em primeiro lugar, pelo motivo processual fundamental já referido: a falta de transparência e escrutínio democrático sobre as negociações, que têm vindo a ser realizadas à margem não só dos cidadãos como até dos seus representantes eleitos - os deputados aos Parlamentos nacionais e Europeu. O secretismo é tal que um conjunto de deputados ao Parlamento Europeu realizou no mês passado uma manifestação à porta da sala de acesso reservado onde se encontra guardada a documentação relativa ao TTIP, em protesto por lhes ser vedado o acesso . A Provedora de Justiça Europeia, Emily O'Reilly, teve também já ocasião de criticar publicamente a Comissão e o Conselho Europeus pela falta de transparência que tem caracterizado todo o processo .
...

Imagem daqui
Em suma, este é um Tratado anti-democrático e não sujeito a escrutínio, cujo conteúdo está a ser decisivamente influenciado pelas grandes empresas transnacionais ao mesmo tempo que é escondido dos cidadãos e dos seus representantes eleitos. Um Tratado que corre um sério risco de pretender nivelar por baixo as regras em matéria ambiental, laboral e de segurança do consumidor. Um Tratado que pode vir a incluir, se os Maçães deste mundo levarem a sua avante, um mecanismo de neutralização da soberania sem precedentes. E um Tratado que, se for aprovado, tenderá a condenar ainda mais a economia portuguesa ao agravamento da sua condição semi-periférica.

Deve ser travado enquanto é tempo.»

Ler artigo completo em: http://expresso.sapo.pt/maltratado=f897727#ixzz3JGVVlMnT7


Saiba mais sobre o TTIP em https://www.nao-ao-ttip.pt/

Assine a petição contra o TTIP  em  http://stop-ttip.org/  ou em  http://www.nao-ao-ttip.pt/


sábado, 8 de Novembro de 2014

A beleza da nossa terra

Imagem daqui
Belíssimo vídeo Breathing Other World em "timelapse" de Carlos Dias, filmado em Portugal e Espanha, entre março 2013 e agosto 2014. Não bastam os olhos para ver  a beleza, é preciso também a alma. 

Locais: Portugal - Parque Natural da Serra da Estrela, Parque Nacional da Peneda-Gerês, Buracas do Casmilo (Condeixa), Outeiro (Leiria), Cabo Mondego, Cabo Espichel, Cabo da Roca, Carrasqueira; Espanha - Parque Nacional dos Picos de Europa, Desfiladero de la Hermida, Parque Natural Montaña Palentina


Breathing Other World from Carlos Dias | photography on Vimeo.

quarta-feira, 29 de Outubro de 2014

Contra o TTIP (Acordo de Parceria Transatlântica de Comércio e Investimento)

Não fiquem indiferentes ao que se passa quando as grandes multinacionais (corporações) dos dois lados do Atlântico conseguem que os governos negoceiem em seu nome, para poderem aumentar os lucros à custa de diminuir a qualidade de vida dos cidadãos, da proteção do ambiente e dos animais. 
Isto é feito através da desregulamentação, e se este TTIP for para a frente, e está a andar a largos passos, são a soberania das nações, os direitos das pessoas, dos animais e do ambiente que vão sair MUITO prejudicados, a favor do lucro das multinacionais. 

«A União Europeia pretende em breve para assinar dois acordos comerciais de longo alcance: um com os Estados unidos (TTIP = Acordo de Parceria Transatlântica de Comércio e Investimento) e outro com o Canadá (CETA = Acordo Económico e Comercial Global Canadá-UE).  A versão oficial é que vão criar empregos e aumentar o crescimento económico. No entanto, os beneficiários desses acordos não são de facto os cidadãos, mas as grandes multinacionais.» (daqui)



«De acordo com as notícias das negociações, eis o que está em causa para os países da União Europeia :

PROTECÇÃO AMBIENTAL: Diminuição dos padrões de protecção ambiental. Autorização da exploração de gás de xisto (fracking) . Venda de produtos com químicos não testados. Desregulação dos níveis de emissões no sector da aviação.

SEGURANÇA ALIMENTAR: Concorrência agressiva das empresas agroindustriais dos EUA. Autorização dos Organismos Geneticamente Modificados. Utilização de hormonas de crescimento na carne. Desinfecção de carne com cloro.

EMPREGO: Falsas promessas de um aumento do número de postos de trabalho. Aumento do desemprego em vários sectores, não estando prevista a atenuação dos efeitos negativos da Parceria. Diminuição dos Direitos Laborais e salários. Aumento da precariedade.

SAÚDE: Aumento da duração das patentes dos medicamentos,impossibilitando a venda de genéricos a preços mais acessíveis. Serviços de emergência poderão ser privatizados. Venda de produtos com químicos não testados.

LIBERDADE E PRIVACIDADE: Tentativa de ressuscitar a ACTA. Violação da privacidade e liberdade de expressão. Transformar os fornecedores de internet numa força policial de vigilância privada do sector empresarial. Bloqueio de projectos de investigação. Fortalecimento dos Direitos de Propriedade Intelectual.

SERVIÇOS FINANCEIROS: Liberalização e desregulamentação dos serviços financeiros. Maior participação do sector financeiro no processo legislativo. Maior liberdade na criação de novos produtos financeiros. Maior facilidade de deslocação dos bancos para países com impostos mais baixos.»

ESTE ASSUNTO É MUITO SÉRIO E PREOCUPANTE, NÃO IGNOREM! Assinem esta petição, ajudem-na  a chegar a 1 milhão de assinaturas em http://stop-ttip.org/  ou em http://www.nao-ao-ttip.pt/:

"Apelamos às instituições da União Europeia e seus estados membros que suspendam as negociações com os EUA acerca do Acordo de Parceria Transatlântica de Comércio e Investimento (APT, ou TTIP em inglês) e que não assinem o Acordo Económico e Comercial Global (CETA em inglês) com o Canadá.

Queremos impedir o TTIP e o CETA porque contêm vários aspetos sensíveis, como, por exemplo, a resolução de litígios entre estados e investidores e as normas para a cooperação legislativa, que constituem uma ameaça para a democracia e a função do direito. Queremos impedir que os nossos elevados padrões de emprego, sociais, ambientais, de privacidade e de proteção do consumidor sejam baixados e que serviços públicos (tais como o aprovisionamento de água) e bens culturais sejam liberalizados em negociações pouco transparentes. A ICE apoia uma política de comércio e investimento alternativa na UE."

Saiba mais em:
http://www.nao-ao-ttip.pt/ (português)
http://parceriatransatlantica.wordpress.com/ (português)
http://ttipsecret.wordpress.com/ (espanhol)
Vídeo sobre o TTIP (inglês): http://youtu.be/Y4OQeekSD6s
Vídeo sobre o CETA (inglês): http://youtu.be/Zd_WQ21iKI8

segunda-feira, 27 de Outubro de 2014

A Natureza a falar - Coral

«Sou o Coral
Algumas pessoas pensam que sou apenas uma pedra
Mas, na realidade, sou a maior coisa viva neste planeta.
Sou tão grande que posso ser visto do espaço.
Mas por quanto tempo?
Eu cresço há quase 250 milhões de anos
E os humanos chegaram e um quinto de mim já desapareceu.
Claro, eu vivo no fundo do mar
E podes não me ver muitas vezes
Mas precisas de mim.
Sabes que um quarto de toda a vida marinha depende de mim?
Sou o berçário do mar.
Os peixes pequenos dependem de mim para alimento
E como esconderijo dos grandes peixes.
E adivinha quem precisa dos peixes grandes?
Certo, tu precisas!
Sou a fábrica de proteínas do mundo
E tu sobes a temperatura do oceano, e eu já não posso viver aqui.
Quando as grandes tempestades e tsunamis atingim o oceano,
Eu sou uma fortaleza.
E tu rebentas-me com dinamite e envenenas-me com cianeto.
Eis uma ideia maluca:
Para de me matar!»



Um vídeo de Conservation International com locução de Ian Somerhalder. Texto acima: tradução minha.

quarta-feira, 22 de Outubro de 2014

A natureza a falar - Sequóia

«- Como podes ser tão inteligente?
- Miúda, já aqui estou há muito tempo,
A nossa espécie está aqui há mais tempo que todas as outras. Já vi de tudo.
- A sério? Tal como?
- Já vi o clima, toda a espécie de clima.
- E muitas criaturas?
- Sim, ao princípio eram apenas insetos, aranhas, depois ratos e ratazanas, coelhos e ursos, doninhas.
Mas depois, de repente, apareceram os humanos,
E foi um inferno!
- Porquê, que fizeram os humanos?
- Bom, eles transformaram os lobos em cães,
Rios em lagos, e nós, em madeira.
Começaram a usar o planeta como se ele existisse só para eles.
Como se houvesse outro planeta extra à mão.
- Porque fizeram isso? Porque não compreendem?
- Não sei! Se eles não perceberem que fazem parte da natureza, 
Em vez de apenas usarem a natureza,
Provavelmente não estarão cá para te ver crescer



Um vídeo de Conservation International com locução de Robert Redford e Lena Redford. Texto acima: tradução minha.