quarta-feira, 11 de julho de 2018

Quer saber se está contaminado pelo herbicida glifosato?

«Conhece o Glifosato? Poucos conhecem, mas é o pesticida sintético mais usado no país e no mundo (em Portugal é vendido sob vários nomes: Roundup, Spasor, Tornado, Montana, Touchdown, etc). Durante décadas pensou-se que o glifosato desaparecia rapidamente após aplicação e portanto não estava presente na água nem na comida. Acontece que, nos últimos anos, começaram a ser feitas análises a voluntários de diferentes países europeus e verificou-se que muitos estavam contaminados por glifosato. O problema é grave, pois o glifosato causa cancro em animais de laboratório e, tudo indica, em humanos também.


Infelizmente, em Portugal, as únicas análises disponíveis (realizadas em 2016) apontam para valores dezenas de vezes acima da média europeia. Ninguém sabe porque é que estamos tão contaminados, e não parece haver pressa em saber: as câmaras e juntas de freguesia continuam a pulverizar ruas e parques com glifosato mesmo sabendo que estão a expor a população, as empresas de águas ignoram as recomendações e não testam a água, os hipermercados vendem glifosato livremente, os Ministérios da Agricultura e do Ambiente não preparam alternativas para os agricultores...

Quer saber se está contaminado? A Plataforma Transgénicos Fora (http://stopogm.net) está a organizar, até 21 de julho de 2018, a recolha e envio para um laboratório na Alemanha de amostras de urina dos portugueses interessados em saber o seu nível de contaminação. Cada análise tem o custo de 78,20 euros. Estes resultados irão mostrar quanta contaminação existe de facto em Portugal e permitir exigir junto de autarquias e governo que o uso de glifosato seja drasticamente reduzido e progressivamente substituído por alternativas que não prejudiquem a saúde dos habitantes e o ambiente de todos.

Se fizer a análise através desta iniciativa a Plataforma Transgénicos Fora envia-lhe, junto com o resultado, uma explicação simples do seu significado, uma comparação (anónima) com os resultados dos outros participantes e algumas sugestões para acelerar a descontaminação do seu organismo (e da sua família). Daqui a uns anos o glifosato vai acabar por ser oficialmente proibido (já poucos duvidam disso) mas até lá temos de ser nós, os cidadãos, a tomar a iniciativa. Cada análise que for feita vai ajudar a Plataforma a defender um Portugal livre de glifosato e também será usada (com autorização, claro) para o primeiro estudo científico sobre este silencioso problema de saúde pública no país.

Vai participar? Leia o folheto anexo (ou descarregue-o em https://tinyurl.com/analisesglifosato) e inscreva-se em https://www.stopogm.net/analises-glifosato-portugal - se tiver dúvidas contacte a Plataforma Transgénicos Fora através do email info@stopogm.net (o prazo é mesmo 21 de julho... não perca esta oportunidade!).

Infelizmente a Plataforma Transgénicos Fora não tem fundos próprios que lhe permitam financiar as análises (em 2016 a Plataforma recolheu donativos para pagar as análises). Ao mesmo tempo sabemos que 78,20 euros é muito dinheiro para o bolso da maioria das famílias. Por isso fazemos um apelo à auto-organização e conjugação de esforços em associações, bairros e comunidades locais. Para saber o que se passa ao certo no país são necessárias muitas análises e só juntos conseguimos!»

Instruções de participação e mais informações em https://www.stopogm.net/analises-glifosato-portugal


sexta-feira, 6 de julho de 2018

O Decrescimento vem ao Porto

No sábado, dia 7 de julho, 2018 o  Decrescimento vem ao Porto, evento promovido pela Associação Campo Aberto, e de  grande interesse para quem se preocupa com a Sustentabilidade, 

Será apresentada a «Rede de decrecemento Eo-navia, Galiza i O Bierzo» e do 1º Congresso do Decrescimento, que decorrerá em outubro, e haverá uma conversa/debate sobre "a grande armadilha em que se tornou esta sociedade". 

Programa:

16h, no Espaço Gazua (Porto):

Apresentação da «Rede de decrecemento Eo-navia, Galiza i O Bierzo» e do 1º Congresso do Decrescimento.
Debate sobre bio-regiões, redes de resiliência e organização de iniciativas de decrescimento, com Álvaro Fonseca, Iolanda Teijeiro Rey e Miguel Anxo Abraira.

21h30, no Gato Vadio (Porto):

O decrescimento: escolha colectiva ou inevitabilidade? Um debate com Jorge Leandro Rosa, Miguel Anxo Abraira e Iolanda Teijeiro Rey.

Fonte e mais informação aqui

quinta-feira, 5 de julho de 2018

Cidade+ (5ª edição) no Porto

Este fim de semana, dias 7 e 8 de julho 2018, decorre a  5ª edição do  CIDADE+,  nos Jardins do Palácio de Cristal e no auditório da Biblioteca Municipal Almeida Garret, Porto


«O CIDADE+ é um evento anual gratuito, de iniciativa cidadã, que celebra a Sustentabilidade e o Ambiente!  
...
Serão dois dias de conferências, conversas, oficinas, aulas abertas, exibições, concertos, reflexões e partilha de experiências à volta do tema da Sustentabilidade.»

Fonte, programa, inscrições e mais informações em https://cidademais.pt/

sábado, 23 de junho de 2018

Valorização de Matéria Orgânica - Projeto SÁBIO no OPP

Como famalicense, é com muito orgulho que divulgo que o Projeto SÁBIO é candidato no Orçamento Participativo de Portugal (OPP) com o âmbito Regional.

Este projeto é uma iniciativa de Paulo Lima que arrancou há pouco mais um ano em Vila Nova de Famalicão como experiência  piloto.

No Orçamento Participativo é o projeto #209  "Valorização da Matéria Orgânica Doméstica"

Apoie esta iniciativa, vote neste projeto numa das seguintes formas:
  • Por SMS para o número 3838 com o texto:  "OPP "  (*O número inserido deverá ter o seguinte formato: 123456789XX0 (9 dígitos + 2 letras + 1 dígito).

«#209 - Valorização da Matéria Orgânica Doméstica


«Recolha porta a porta de resíduos orgânicos para produção de fertilizante agrícola,tendo por base o fornecimento de matéria orgânica a produtores de agricultura biológica.

A sua recolha assenta no princípio de voluntariado, num regime de porta a porta dos resíduos domésticos.doados. O benefício dessa transacção faz-se apenas na troca de géneros entre produtores e doadores.

Com este projeto pretende-se replicar a sua filosofia para âmbito nacional, carecendo para isso regulamentação ações de divulgação por forma a alargar também regional,

Proponentes do projeto: Paulo José Lima da Silva»

quinta-feira, 14 de junho de 2018

Portugal merece cuidados!



A Plataforma Algarve Livre de Petróleo (PALP) divulgou, no Dia de Portugal, um vídeo em que o ator Luís Vicente profere o «Discurso ao País que um Presidente Sábio deveria pronunciar» (acima).

É completamente inadmissível que os lobbies económicos do petróleo levem a sua avante e aconteça mesmo a exploração de petróleo em Portugal! 

A aposta tem de ser nas energias renováveis e limpas, como a solar e a eólica.  Não pode ser haver o discurso e a intenção de combater as alterações climáticas e a prática ser o contrário.

É já em Setembro que a GALP e a ENI querem começar a furar, no Algarve, e ainda por cima sem estudo de impacto ambiental, mas toda a costa portuguesa está em risco!

Imagem de PALP 

"Portugal merece cuidados!"  

Petróleo em Portugal? Não Obrigado! 

Informe-se e junte a sua voz em:

segunda-feira, 11 de junho de 2018

FRONTEIRA INVISÍVEL - o óleo de palma como biocombustível (em Famalicão)

Na sessão AMBIENTAR-SE de junho 2018, a Associação Famalicão em Transição e a ZERO - Associação Sistema Terrestre Sustentável trazem ao debate os temas do óleo de palma e das bionergias com o filme:

"FRONTEIRA INVISÍVEL"

("Frontera Invisible",  2017, 28 min)

15 de junho de 2018 (sexta)
21h30
Casa do Território, Parque da Devesa
Vila Nova de Famalicão

Gratuito, entrada livre

Sinopse:

«Fronteira Invisível é a verdadeira história das comunidades presas no meio da guerra mais longa do mundo, na qual a ávida procura por terras, por parte dos grandes proprietários, para fornecimento de óleo de palma para produzir combustível "verde" deslocou os camponeses e os povos indígenas. Destruiu habitats naturais e concentrou as terras nas mãos dos ricos.

Fronteira Invisível dá voz às comunidades locais que arduamente lutam para recuperar as suas terras enquanto expõem as principais armadilhas da política de biocombustíveis.

Na Colômbia, o governo assinou um acordo de paz com o grupo rebelde que acabou com 60 anos de conflito armado. Uma guerra que deslocou mais pessoas do que toda a população da Dinamarca. Enquanto isso, o governo planeia continuar a plantar palma para abastecer a Colômbia e a Europa com 'biodiesel'. Ela devolverá a terra aos seus verdadeiros proprietários ou apenas a entregará ao grande Agronegócio?

Este documentário foi exibido em 24 países em todo o mundo, da Austrália aos Estados Unidos, da Argentina à Rússia, da Itália ao Peru, tendo sido por diversas vezes galardoado como melhor pequeno documentário. Ele também foi exibido em 5 Parlamentos na Europa.»


Frontera Invisible. Trailer 1 (Subs En, Cz) from Transport & Environment on Vimeo.

Informações: parquedadevesa@vilanovadefamalicao.org / 252 374 184 ou famalicaom@gmail.com

sexta-feira, 8 de junho de 2018

Sobre consciência

Dois neurocientistas explicam o que a ciência vai descobrindo sobre a consciência. António Damásio em 2011 e Anil Seth em 2017. 

Como percebemos o mundo, como nos sentimos "eu", como somos parte da natureza, ... vale a pena ouvir estas palestras TED!