quarta-feira, 5 de junho de 2013

ECOLOGIA PROFUNDA

Porque a palavra Ecologia tem sido usada muitas vezes de forma inapropriada, decidi dedicar este Dia Mundial do Ambiente 2013 à Ecologia, mais propriamente à Ecologia Profunda. Enquanto a ecologia é uma ciência, a ecologia profunda trata verdadeiramente do respeito pelo ambiente.

"Deep Ecology", Óleo sobre tela de Daniel Mirante, 2009
A palavra Ecologia tem origem no grego "oikos", que significa casa, e "logos", estudo. É a ciência que estuda as interações entre os seres vivos e seu ambiente: a influência do ambiente nos seres vivos, a influência dos seres vivos do ambiente, a interação dos seres vivos entre si.

A Ecologia Profunda, por outro lado, é um conceito filosófico, que considera que a natureza possui valor intrínseco, independentemente da utilidade que tem para o ser humano.  A sua ideia central é a de que fazemos parte da natureza e não estamos à parte dela. Cada elemento da natureza, ser vivo ou não vivo, inclusive os seres humanos, deve ser preservado e respeitado para garantir o equilíbrio. 

O conceito de Ecologia Profunda foi proposto pelo filósofo e ecologista norueguês Arne Næss em 1973, mas  já existia muito antes em diversas sociedades humanas, particularmente indígenas, como forma de pensar e agir. 

"A Terra é uma comunidade à qual pertencemos, não um objeto que nos pertence", Aldo Leopoldo
Esta filosofia, que deriva do pensamento de Thoreau  e Aldo Leopoldo, contrasta com a visão corrente do mundo (antropocêntrica), mesmo com a teoria do desenvolvimento sustentável preconizada pela ONU cujo princípio n.º 1 (da Declaração do Rio sobre Meio Ambiente e Desenvolvimento) é:

"Os seres humanos estão no centro das preocupações com o desenvolvimento sustentável. Têm direito a uma vida saudável e produtiva, em harmonia com a natureza." 

Os  princípios básicos da Ecologia Profunda, definidos em 1984 por Arne Næss em conjunto com George Sessions, podem ser lidos no quadro ao lado. 

Transcrevo (novamente) uma pequena parte do discurso do índio norte-americano Chefe Seattle, de 1845, que demonstra um saber superior ao que a ciência nos dá, e que exemplifica a ecologia profunda:


"A terra não pertence, ao homem: é o homem que pertence à terra. Todas as coisas estão interligadas, como o sangue que une uma família. Tudo quanto agride a terra, agride os filhos da terra. Não foi o homem quem teceu a trama da vida: ele é meramente um fio da mesma. Tudo o que ele fizer à trama, a si próprio fará." (ler o resto aqui).



Nota: Esta é apenas uma abordagem ligeira sobre a ecologia profunda e de acordo com a minha interpretação.

2 comentários:

  1. Gostei do texto! Lembrei-me de Aline da Cidade das Pirâmides, que em seu programa - www.deolhonomundo.com - aborda o tema divinamente. Vejam: Forças da Natureza http://youtu.be/DyBfKecIDnY sei que vão gostar.
    Abraços.

    ResponderEliminar

Obrigada por visitar o blogue "Sustentabilidade é Acção"!

Agradeço o seu comentário, mesmo que não venha a ter disponibilidade para responder. Comentários que considere de teor insultuoso ou que nada tenham a ver com o tema do post ou com os temas do blogue, não serão publicados ou serão apagados.