terça-feira, 22 de março de 2011

Dia Mundial da Água 2011 - "O Poço de Ryan"

Hoje é o Dia Mundial da Água, e para comemorar escolhi contar a história de um menino canadiano  e 6 anos que não se conformou com a morte de tanta gente em África por falta de água potável.  Um exemplo de como a atitude e persistência de uma criança pode mudar a vida a meio milhão de pessoa. É a história de Ryan Hreljac, hoje com quase 20 anos.


Ryan Hreljac nasceu no Ontário, no Canadá, em 1991.
Quando tinha 6 anos, uma conversa com a professora da escola primária mudou-lhe a vida. Ela falou na aula das pessoas pobres de África. Contou, entre outras coisas, como elas passam por grandes dificuldades para disporem de água potável e terem acesso a poços. Acrescentou ainda a professora que, sem água potável, as pessoas, e especialmente as crianças, podem ficar doentes e, até, morrer.

Ryan Hreljac, apesar de ter 6 anos e muita vontade de brincar, naquele dia ia a caminho de casa a pensar. Passava em frente de um fontanário em que a água estava horas e horas, sem parar, a correr. E, lá na África, as crianças da sua idade tinham de andar quilómetros e quilómetros, durante horas, para levar uns cinco litros de água para casa. Foi ter com a mãe e disse-lhe:
– Mãe, quero comprar um poço de água para as crianças de África. A professora disse que custava 70 dólares.
Mas a mãe não lhe deu o dinheiro sem mais. Combinou com o filho que ele fazia algumas tarefas em casa e que receberia por isso. Quando juntou os 70 dólares, Ryan foi com a mãe à sede da WaterCan, uma ONG que perfura poos em África. Ao ser atendido, ele recebeu uma novidade que podia tê-lo assustado: abrir um poço não custava 70 dólares, mas dois mil dólares. E a mãe também lhe disse:
– Filho, não posso dar-te todo esse dinheiro, nem que limpasses a casa toda a vida.
Mas o pequeno Ryan não se rendeu. E prometeu ao senhor que os atendia:
– Vou voltar!

Ryan Hreljac animou os irmãos, vizinhos e amigos a trabalhar como ele. Com horas de trabalho e venda de produtos, entre todos, conseguiram juntar 700 dólares. E Ryan foi ter com a WaterCan triunfal. E a ONG canadiana comprometeu-se a juntar o que faltava.

Em 1999, a WaterCan abriu o poço financiado por Ryan Hreljac, os seus irmãos, vizinhos e amigos, numa aldeia do Norte do Uganda. A água começou a jorrar perto da escola primária de Angolo.
Nesse mesmo ano, Ryan Hreljac criou a fundação Ryan’s Well (o Poço de Ryan). Desde então já permitiu a mais de quinhentas mil pessoas terem acesso a água potável.

Agora com 19 anos, Ryan continua a recolher fundos e a viajar por todo o mundo solicitando apoios.
Ele diz que, a partir o momento em que começou a fazer algo pelas crianças de África, entendeu a razão de ter nascido:
– Esta experiência ajudou-me muito. Aprendi que somos todos iguais. Aprendi que as crianças precisam de certas coisas para viverem com saúde e felizes, independentemente do lugar onde vivem. Precisam de alimentos suficientes para comer e de água para sobreviver. Precisam de ter condições para ir às aulas e oportunidades para brincar e divertir-se. Robustos e bem preparados, também eles poderão ajudar a Humanidade inteira.

E, de facto, foi o que aconteceu com os alunos e restante pessoal da escola primária de Angolo, no Uganda. Decidiram que também eles podiam partilhar algo. E, voluntariamente, durante cinco dias, no horário pós-escolar, vão ajudar os idosos e os doentes com sida.
Há crianças que lhe perguntam o que podem partilhar, se têm apenas o mínimo. E Ryan responde com a sabedoria que aprendeu da atitude da mãe quando ele tinha 6 anos:
– Dá apenas um pedacinho. Pensa no que tens, no que queres e naquilo de que precisas realmente… e terás a resposta." 

A Ryan's Well Foundation, já com mais de 10 anos, "é uma família de pessoas comprometidas em proporcionar o acesso à água potável e ao saneamento como um meio essencial para melhorar a vida das pessoas no mundo em desenvolvimento".

Todos podemos participar em algo maior que nós próprios e fazer a diferença. Por pequena que seja, é sempre valiosa para alguém. Nem que seja participar na campanha global da End Water Poverty no âmbito do Dia Mundial da Água 2011:



10 comentários:

  1. Amiga Manuela!

    Este menino de oiro é o exemplo vivo de como todos podemos ajudar.TODOS.
    Ao ler o texto não consegui impedir que as lágrimas rolassem.
    Amiga, bem haja por estar sempre do lado dos desprotegidos.

    Beijinho

    ResponderEliminar
  2. SEm dúvida que há gestos que merecem ser divulgados, pelo lado bom. Contudo, os gestos maus merecem igual atenção, pela denúncia, como eu faço aqui

    ResponderEliminar
  3. Sempre digo que a nossa esperança está nas crianças! Penso também que até estamos a fazer com elas um trabalho razoável. Não me lembrei que hoje era o dia mundial da água; dia da floresta, dia da água, início de Primavera. Bela altura para chamarmos a atenção mais uma vez para os perigos da nossa insensatez. O cantor brasileiro, Guilherme Arantes tem duas músicas de que gosto muito e que são verdadeiros alertas ; foram lançadas talvez há 25 anos, mas continuam pertinentes. Poderá ouvi-las no youtube. Uma é Terra, planeta água e outra é Xixi nas estrelas. Quando puder ouça; vai gostar. Um beijinho e vamos lá...aproveitemos a Primavera com toda a sua magia e beleza para repensarmos as nossas atitudes. Até breve e obrigada por me recordar este menino de quem já tinha ouvido falar.
    Emília

    ResponderEliminar
  4. Grão a grão enche a galinha o papo, é assim que os humildes de coração fazem, enquanto que os tiranos, do alto da sua retro-escavadora, em segundos destroem o que foi feito pelos humildes. Basta um só para dar cabo de tudo. Digo isto, porque sei que estão a açambarcar a água em condutas fechadas, para depois a privatizarem e com ela lucrarem. Digo isto, porque os israelitas tornam a água do mar potável há muitas décadas, enquanto em África, mesmo ali ao lado, se morre todos os dias por falta dela.
    Lindo post, linda história, pena que a História seja escrita pelos vencedores e à sua maneira...
    Obrigada por este bocadinho e desculpa lá o desabafo no meio de algo tão humanamente belo.

    ResponderEliminar
  5. Minha Boa Amiga Manuela Araújo,
    Este adolescente deu e continua a dar lições ao Mundo! Já conhecia a sua história mas sempre que a relembro fico sensibilizado com a sua preserverança e bondade! Sim pois esta acção revela uma grande bondade para quem é necessitado! A ÁGUA É ALGO QUE DEVE SER DADA A QUEM DELA NECESSITA!
    Um beijinho muito amigo.

    ResponderEliminar
  6. Olá Fernanda, Mãe da Rita, Rogério, Emília, Fada e Luís :)

    Há uns tempos a minha cunhada Ana enviou-me um e-mail com esta história, que me fui esquecendo de divulgar. Já muita gente a conhecerá, mas muita não conhece. Achei que era uma história inspiradora para o dia Mundial da Água, o exemplo de que cada um de nós pode fazer a diferença.

    Hoje vi um documentário na SIC Notícias (pela 2ª vez, mas tal como da outra vez apanhei já a meio), no programa Toda A Verdade, chamado "Comprei uma floresta tropical". Foi mais um belo exemplo de como uma criança de 8 anos fez a diferença na protecção da floresta tropical, e assim também, na retenção da água no solo.

    Quanto à privatização da água, que o Rogério e a Fada mencionam, são mais dessas jogadas sujas e sem escrúpulos das grandes empresas com a conivência dos governos. Um mundo a saque de alguns! Urge divulgar

    Obrigada a todos e um bom fim de semana

    ResponderEliminar
  7. Olá Nela.
    Adorei esta história, que nos permite pensar que a atitude de uma só pessoa pode alterar a vida de muitas pessoas. Como também no papel fundamental que os professores tem que desempenhar na educação das nossas crianças, porque é tão importante ensinar matemática, ciências, etc, como mostrar que existem outras realidades bem diferentes da nossa e que todos nós temos o dever de tentar ajudar quem mais precisa e o aprender a ser um ser cívico.
    Parabéns e continua a fazer este magnífico trabalho que tens feito.

    ResponderEliminar
  8. Ola Manuela,

    São estas pequenas historias e movimentos que fazem toda a diferença. Obrigada pela tua acção!
    Fica bem.

    ResponderEliminar

Obrigada por visitar o blogue "Sustentabilidade é Acção"!

Agradeço o seu comentário, mesmo que não venha a ter disponibilidade para responder. Comentários que considere de teor insultuoso ou que nada tenham a ver com o tema do post ou com os temas do blogue, não serão publicados ou serão apagados.