quinta-feira, 14 de junho de 2018

Portugal merece cuidados!



A Plataforma Algarve Livre de Petróleo (PALP) divulgou, no Dia de Portugal, um vídeo em que o ator Luís Vicente profere o «Discurso ao País que um Presidente Sábio deveria pronunciar» (acima).

É completamente inadmissível que os lobbies económicos do petróleo levem a sua avante e aconteça mesmo a exploração de petróleo em Portugal! 

A aposta tem de ser nas energias renováveis e limpas, como a solar e a eólica.  Não pode ser haver o discurso e a intenção de combater as alterações climáticas e a prática ser o contrário.

É já em Setembro que a GALP e a ENI querem começar a furar, no Algarve, e ainda por cima sem estudo de impacto ambiental, mas toda a costa portuguesa está em risco!

Imagem de PALP 

"Portugal merece cuidados!"  

Petróleo em Portugal? Não Obrigado! 

Informe-se e junte a sua voz em:

segunda-feira, 11 de junho de 2018

FRONTEIRA INVISÍVEL - o óleo de palma como biocombustível (em Famalicão)

Na sessão AMBIENTAR-SE de junho 2018, a Associação Famalicão em Transição e a ZERO - Associação Sistema Terrestre Sustentável trazem ao debate os temas do óleo de palma e das bionergias com o filme:

"FRONTEIRA INVISÍVEL"

("Frontera Invisible",  2017, 28 min)

15 de junho de 2018 (sexta)
21h30
Casa do Território, Parque da Devesa
Vila Nova de Famalicão

Gratuito, entrada livre

Sinopse:

«Fronteira Invisível é a verdadeira história das comunidades presas no meio da guerra mais longa do mundo, na qual a ávida procura por terras, por parte dos grandes proprietários, para fornecimento de óleo de palma para produzir combustível "verde" deslocou os camponeses e os povos indígenas. Destruiu habitats naturais e concentrou as terras nas mãos dos ricos.

Fronteira Invisível dá voz às comunidades locais que arduamente lutam para recuperar as suas terras enquanto expõem as principais armadilhas da política de biocombustíveis.

Na Colômbia, o governo assinou um acordo de paz com o grupo rebelde que acabou com 60 anos de conflito armado. Uma guerra que deslocou mais pessoas do que toda a população da Dinamarca. Enquanto isso, o governo planeia continuar a plantar palma para abastecer a Colômbia e a Europa com 'biodiesel'. Ela devolverá a terra aos seus verdadeiros proprietários ou apenas a entregará ao grande Agronegócio?

Este documentário foi exibido em 24 países em todo o mundo, da Austrália aos Estados Unidos, da Argentina à Rússia, da Itália ao Peru, tendo sido por diversas vezes galardoado como melhor pequeno documentário. Ele também foi exibido em 5 Parlamentos na Europa.»


Frontera Invisible. Trailer 1 (Subs En, Cz) from Transport & Environment on Vimeo.

Informações: parquedadevesa@vilanovadefamalicao.org / 252 374 184 ou famalicaom@gmail.com

sexta-feira, 8 de junho de 2018

Sobre consciência

Dois neurocientistas explicam o que a ciência vai descobrindo sobre a consciência. António Damásio em 2011 e Anil Seth em 2017. 

Como percebemos o mundo, como nos sentimos "eu", como somos parte da natureza, ... vale a pena ouvir estas palestras TED!



terça-feira, 5 de junho de 2018

Estado do ambiente em Portugal - economia circular


O Relatório do Estado do Ambiente em Portugal (2018)  foi divulgado neste Dia Mundial do Ambiente. O relatório refere-se ao ano anterior (2017), mas em muitos indicadores os dados ainda se remetem a 2016.


O cenário não é nada animador, antes pelo contrário, pois apesar de uma ligeira redução no consumo interno de materiais, o consumo de energia final e a produção de resíduos aumentaram, e as taxas de separação e reciclagem são muito baixas!


Fica aqui um destaque para alguns números relacionados com a economia circular (consumo e resíduos): 


152,9 milhões de toneladas em 2016,  o que corresponde a 40,6 kg por pessoa por dia, tendo descido (1,7%) em relação ao ano anterior (1,5%).

Destes, 22,6% são em biomassa (alimentos, madeira, ...) e o restante são de origem mineral (metálico, não metálico ou energético fóssil). A maior fatia é dos materiais de construção (57,8% de não metálicos).

Este valor (40,6 kg por pessoa por dia) é superior à média da União Europeia (a 28) que foi de 36,3 kg por pessoa por dia (daqui).

O consumo interno de materiais está a diminuir, embora a redução seja pequena.


Em 2016, o consumo de energia final aumentou 1,0% relativamente a 2015, devido sobretudo à subida do consumo dos produtos do petróleo e eletricidade. 


4,75 milhões de toneladas produzidas em 2017, no continente,  o que corresponde a 1,32 kg por pessoa por dia.  Isto configura um aumento de 2,3% em relação ao ano anterior e de 10% em relação a 2013 .

A meta do PERSU 2020 para este indicador é que em 2020 estejamos em 1,12 kg por pessoa por dia, mas em vez de estarmos a diminuir o lixo produzido estamos a aumentar!.

Além disso, a percentagem dos resíduos urbanos indiferenciados, foi, em 2017, de 83,5%, ou seja, apenas 16,5% dos resíduos foram separados na recolha (recolha diferenciada)!

A taxa de preparação para reutilização e reciclagem, que estagnou nos 38%, inclui a separação de resíduos pós-recolha para valorização, e que deve atingir os 50% até 2020. 

Fonte (dados e imagens): APA, Relatório do estado do ambiente - Portugal, junho 2018

sábado, 2 de junho de 2018

Movimento da Escola Moderna (MEM) na Educação (Famalicão, 7 de junho)

Associação Famalicão em Transição com o apoio do Centro de Estudos Camilianos e o Núcleo MEM do Porto, apresentam


No dia 7 de junho entre as 18.30h e as 20h no Centro de Estudos Camilianos, Seide S. Miguel, Vila nova de Famalicão



A Prof. Noémia Peres e o prof. Joaquim Liberal do Núcleo MEM Porto dar-nos-ão a oportunidade de conhecer este modelo pedagógico para educação pré-escolar e 1º ciclo.

Num segundo momento o JI Seide S.Miguel e EB1 Seide irão partilhar a experiência de implementação de uma ou mais práticas a título de exemplo.

Aberto a pais, mães, educador@s, professor@s, e toda a comunidade educativa.

Inscrição obrigatória em: goo.gl/JLxfUQ

Dádiva sustentável: 1,5€ para sócios e 2€ para não sócios.