domingo, 1 de janeiro de 2017

Precisamos mudar a consciência

Neste primeiro dia de 2017, junto com os votos de bom ano novo, e depois deste apelo de Satish Kumar  à mudança das histórias que andamos a ouvir e a contar, apelo à mudança da nossa consciência, para que ela se foque naquilo que de positivo há na nossa espécie e no mundo, em vez de gastarmos as energias em sentimentos negativos e naquilo que não queremos para nós nem para os outros.

E para isso, convoco novamente os testemunhos de duas mulheres que tiveram experiências de quase-morte, o que mudou completamente a sua consciência e a sua vida: Anita Moorjani e Jill Bolte Taylor. Porque elas encontraram algo que nós procuramos incessantemente, e apontam-nos o caminho! Vejam ou revejam os vídeos (clicar no link/título):


«Pensem em todas as campanhas e todos biliões de dólares gastos na consciencialização sobre o cancro; imaginem que todo esse esforço, energia e dinheiro era usado em consciencialização sobre bem-estar. Teríamos um mundo muito diferente!
Imaginem que colocávamos todos os nossos esforços na paz em vez de batalhas e guerras.

Teríamos um mundo muito diferente se mudássemos a nossa consciência!»



«Somos seres energéticos ligados uns aos outros através da consciência do nosso hemisfério direito, como uma família humana.

E aqui, e agora, somos irmãos e irmãs neste planeta para fazer deste mundo um lugar melhor.

E neste momento, somos perfeitos, somos um todo e somos belos»


Para 2017, o meu pedido é que cada vez mais pessoas tomem consciência de que somos parte de um todo, que o bem do todo é o nosso bem, e que só mudando a nossa consciência para melhor poderá o mundo mudar para melhor. E para acabar, um pedido e um conselho de Dalai Lama:

«Se existe amor, há também esperança de existirem verdadeiras famílias, verdadeira fraternidade, verdadeira igualdade e verdadeira paz. 

Se não há mais amor dentro de você, se você continua a ver os outros como inimigos, não importa o conhecimento ou o nível de instrução que você tenha, não importa o progresso material que alcance, só haverá sofrimento e confusão no cômputo final.  O homem vai continuar enganando e subjugando outros homens. Basicamente, todo mundo existe na própria natureza do sofrimento, por isso insultar ou maltratar os outros é algo sem propósito. 

O fundamento de toda prática espiritual é o amor. 
Que você o pratique bem é meu único pedido.»
Dalai Lama

1 comentário:

Obrigada por visitar o blogue "Sustentabilidade é Acção"!

Agradeço o seu comentário, mesmo que não venha a ter disponibilidade para responder. Comentários que considere de teor insultuoso ou que nada tenham a ver com o tema do post ou com os temas do blogue, não serão publicados ou serão apagados.