quinta-feira, 31 de julho de 2014

Em Transição 2.0

"A Transição é uma experiência social em grande escala. Não sabemos se resultará. Mas estamos convencidos de que, se esperarmos pelos nossos governantes, virá pouca coisa e... demasiado tarde. Se agirmos como indivíduos, será muito pouco. Mas se agirmos em comunidades, poderá muito bem ser suficiente, e mesmo a tempo." (do filme)


«In Transition 2.0" é o novo filme da Rede de Transição, que reúne histórias inspiradoras de Iniciativas de Transição em todo o mundo. Histórias que respondem a tempos incertos com criatividade. Comunidades que imprimem seu próprio dinheiro, que cultivam os seus alimentos, localizando as suas economias e criando centrais de energia comunitárias. É uma ideia que se tornou viral, uma experiência social que trata de responder a tempos incertos com soluções e otimismo.» (adaptado daqui)

De 2012, três anos depois de "In Transition 1.0" (2009). Veja, inspire-se, e seja positivo!



«"In Transition 2.0" é a mais recente longa-metragem sobre o Movimento de Transição. É uma história surpreendente sobre como os grupos de transição espalhados pelo mundo estão a responder aos desafios de escassez de recursos energéticos, à instabilidade financeira e às mudanças ambientais.

O filme tem legendas em várias línguas - basta clicar no botão 'Captions' no player de vídeo que encontra uma grande variedade de idiomas disponíveis.

Para quaisquer questões relacionadas com sessões públicas ou com o filme, por favor, entre em contacto com film@transitionnetwork.org» (Fonte: http://www.transitionnetwork.org/transition-2)

Nota: publicado inicialmente aqui em 09/02/2014, republicado em 31/07/2014.

segunda-feira, 7 de julho de 2014

Chega de tanto saco plástico!

Ainda não percebi porque custa tanto levar sacos quando se vai às compras, e muito menos percebo porque, por exemplo, ao comprar fruta se mete cada espécie ou variedade num saco, depois noutro, ou porque se vai comprar pão e para além do saco de papel, ainda têm, uns de dar, outros de pedir, mais um saco de plástico.  
Imagem da campanha "Saco é um Saco"
A vontade de levar sacos de plástico para casa é de tal modo que, em média, cada português "consome" 466 sacos por ano. Ou seja, uma família de 3 pessoas gasta, em média 4 sacos por dia! Demais, não? Custará pensar um pouco nisto?

No passado dia 3 de julho assinalou-se o Dia Internacional SEM Sacos de Plástico, "que tem como objectivo alertar a sociedade para a necessidade de reduzir o consumo e utilização excessiva de sacos de plástico descartáveis que, na maioria das vezes, terminam no lixo após uma única utilização, ou acabam por ser libertados no ambiente, constituindo um problema ambiental grave em termos de poluição." Muitos destes sacos acabam no mar e os animais marinhos são seriamente afetados por este tipo de poluição (80% da poluição marinha é causada pela libertação de resíduos plásticos).

Precisamente neste 3 de julho, foi publicado o  Decreto Legislativo Regional n.º 10/2014/A para os AÇORES, que "Cria medidas para a redução do consumo de sacos de plástico e aprova o regime jurídico da taxa ambiental pela utilização de sacos de plástico distribuídos ao consumidor final". Um primeiro passo, pois falta ainda regulamentar, mas pelo menos os Açores já começaram a fazer alguma coisa.

Imagem de DN
A Quercus sinalizou a data com um estendal de 466 sacos à porta da Assembleia da República, o número médio de sacos plásticos que cada português consome por ano, a afirmando que "Vamos apresentar a todos os grupos parlamentares da AR um parecer sobre o uso excessivo dos sacos de plástico e uma proposta para legislar a redução da distribuição gratuita dos sacos descartáveis no grande e pequeno retalho" (fonte: DN).

"A 14 de Janeiro, o Parlamento Europeu apelou para que a União Europeia (UE) definisse medidas para reduzir os resíduos de plástico no ambiente e, especificamente, do «lixo marinho», no sentido de alcançar uma redução do uso de sacos de plástico de 50% até 2017 e de 80% até 2019.
Um estudo levado a cabo pelo Departamento de Ciências e Engenharia do Ambiente, da Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade Nova de Lisboa (DCEA FCT-UNL), em 11 praias do litoral continental português, entre 2010 e 2014, mostra uma predominância de materiais de plástico nas praias portuguesas: dos 111.000 itens recolhidos, 97% eram plástico, dos quais 57% correspondiam a pellets de resina virgem ou envelhecidos, seguindo-se 27% de fragmentos de plásticos (onde estão incluídos os fragmentos de sacos de plástico) e 11% de esferovite. Relativamente às dimensões, apenas 8% eram maiores que 2,5 cm. Os plásticos de maiores dimensões correspondiam a cotonetes (38%) e cordas de pesca (35%)." Fonte: Diário Digital

sábado, 5 de julho de 2014

CIDADE + (Porto, 7 a 13 de julho)

«CIDADE + “O PONTO DE ENCONTRO DA CIDADANIA, AMBIENTE E SUSTENTABILIDADE

É já no próximo dia 7 de Julho que começa no Porto a primeira edição do CIDADE +, um evento gratuito que durante uma semana celebrará a Cidadania, o Ambiente e a Sustentabilidade em contexto urbano.

O Warm Up do CIDADE+, de 7 a 9 de Julho [Segunda-feira a Quarta-feira], irá reanimar e divulgar espaços icónicos da cidade e promover iniciativas sustentáveis existentes na cidade do Porto. Inicia-se no dia 7 de manhã com uma acção de sensibilização para a importância das áreas costeiras na Praia do Ingleses, e às 18h30 com a tertúlia “Famílias Amigas do Ambiente” no Atmosfera M. Há também a Visita ao Charco Maravilha, no Parque da Cidade (9 Julho, 15h-18h) e oficinas de Hortas Verticais na Quinta Pedagógica do Mitra (8 de Julho das 17h*-19h).

É de salientar a sessão Ecologia e Sociedade Civil (9 de Julho às 18h) sobre associativismo e ativismo ambiental, onde haverá a apresentação do Livro “Verdes Anos” e a projeção do documentário “Setúbal , cidade verde” no espaço Atmosfera M, seguido (21h) pela tertúlia “Ambiente – Grandes desafios para os cidadãos e associações” na Reitoria da Universidade do Porto com ONGs ambientais. Durante a semana há actividades de Yoga nos espaços Yoga4you (Pilates, Yoga e Happy Yoga) e Yoga sobre o Porto (conversa sobre Reiki e Meditação).

A segunda parte do CIDADE + decorre no Palácio de Cristal concentrando um conjunto amplo de atividades de 10 a 13 de Julho [Quinta-feira a Domingo]. A Conferência de Abertura no dia 10 de Julho, no Auditório da Biblioteca Almeida Garret, contará com presença de Rui Moreira (Câmara do Porto), de Alexandre Quintanilha (IBMC) e de Nuno Lacasta (Agência Portuguesa do Ambiente).

O evento apresenta várias iniciativas, entre as quais: 6 Conferências, mais de 20 Oficinas (para crianças e famílias), 5 sessões Lab+, MercadECO, Artes e Espetáculos, Aulas Abertas de Yoga e Taichi, Conversas Conscientes, Praça Empresarial, Sessões Porto+ e o Rede+ (Empreendedorismo Social). A diversidade de temas abordados é uma das mais valias deste evento, abrangendo temas como Mobilidade e Planeamento Urbano, Empreendedorismo Sustentável, Valorizar a Biodiversidade, Gestão de Eventos Sustentáveis, Oficinas de Psicologia, Permacultura, Ética Ambiental, entre outros.»

Fonte e mais informação em: http://cidademais.pt/site/  (*começa às 17h e não às 15h como diz aqui)
Página no Facebook: https://www.facebook.com/cidademais