quarta-feira, 25 de junho de 2014

A arma secreta do marketing

Para além das técnicas de marketing que muitos conhecem, este vídeo (produzido pela "Catsnake Films" para a "Compassion in World Farming") expõe o principal segredo. Apesar de a protagonista ser uma atriz (Kate Miles), a audiência só o soube no final. Seja como for, o que ela diz sobre a indústria alimentar é a pura realidade, e sobre a tal "arma secreta", não me parece que restem dúvidas. (O vídeo tem legendas)

9 comentários:

  1. Uma coisa eu tenho por certa
    o que a alma digere
    também vem de arma secreta

    E é de facto muito poderoso
    o desejo de-não-querer-saber

    (é forte o vídeo)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá Rogério

      É de facto muito poderoso o desejo de-não-querer-saber, tão poderoso que se pode converter numa arma de destruição em massa...

      Um abraço e obrigada pela visita

      Eliminar
  2. Sem dúvida, Manuela, o desejo de não querer saber está mesmo muito na "moda". Nesta era da informação, não saber é simplesmente uma questão de escolha para muita gente. Triste e verdadeiro. E eu tornei-me há muitos anos vegetariana porque não quero fazer parte desta monstruosa e gigantesca engrenagem de tortura e morte.

    Não sou vegana, porque uso às vezes ovos das "minhas" galinhas que por aqui se passeiam, porque de resto, faço por não usar produtos que contenham ingredientes derivados de animais. E tenho uma saúde de ferro, é que nem constipações. Há quem me ache fundamentalista só porque optei por não fazer parte de tanto mal. É estranho...

    beijinhos e grata!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá aNaTureza

      Realmente, é muito mais fácil e confortável escolher não querer saber do que escolher tentar saber e perceber as consequências das escolhas... até porque os temas são infindáveis. É uma questão cultural duma civilização que cresceu sendo-lhe impingida propaganda e facilitando-lhe o não pensar. E a cultura é muito difícil de mudar!
      Beijinhos e obrigada

      Eliminar
  3. Olá Manuela!

    Pessoalmente adorei observar as expressões que alguns fizeram pois são expressões de quem se sentiu atraiçoado pois pensava que ia a uma sessão sobre marketing e levou com um dose de REALIDADE! Do melhor...

    Eu, já sabes, prefiro sempre que possível mostrar a realidade!

    E também já fiz um anúncio... Já me aventurei nessa coisa do marketing maroto! Vejam lá

    Mas no fim das contas, nada disto importa, pois se depois de se ficar a saber a REALIDADE, vamos ao churrasco mais próximo comprar um frango, ou comer um hambúrguer, então de nada interessou, foi apenas uma seca, e lá corremos a cassete no cérebro "Eu gosto de ser necrófago, além disso o doutor diz que comer carne, peixe e beber leite durante toda a vida faz-me bem! Esses tipos têm mas é a mania!"

    Abr
    VOZ

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá Voz

      Pois eu tinha visto essa tua incursão pelo marketing! Aprendeste bem :) O problema de mostrar a realidade é precisamente... não querer ver... é demasiado cruel, por isso, lá está, o melhor é escolher não querer saber!

      Eliminar
  4. Não posso deixar de escapar esta oportunidade!

    Já leste o relatório da BP "Energy Outlook 2035"?

    Se por acaso ainda não leste, não deixes de dar uma vista de olhos nem que seja só nos gráficos! ADORO especialmente o da página 12 com título "Consumption by fuel", se conseguirem obter mentalmente a percentagem que cabe a cada fonte de combustível chegam ao fantástico número de +- 80% em 2035 em petróleo, gás e carvão!

    Tudo isto encaixa perfeitamente no tema aqui exposto do marketing... Afinal de contas debitaram tanta propaganda em redor dos combustíveis fósseis (CF) apenas com o propósito de amedrontar a MANADA!

    E o objectivo da propaganda foi, e continua a ser, criar as condições para criar novas taxas e impostos, o objectivo nunca foi reduzir consumo de CF e suas emissões associadas! E resultou... E vai resultar!

    Como estou a escrever no espaço virtual da sustentabilidade deixo aqui transcrito a última pergunta e a resposta do relatório:

    "Sustainable? Room for improvement"

    E mais NADA!

    Cumps
    VOZ

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não Voz, não li esse relatório. E para ser sincera, nesse caso, eu escolho mesmo não querer saber, porque o meu tempo é escasso para me poder dedicar a algo que não considero à partida minimamente fiável. Pelo menos com a tua ajuda, já fiquei a saber alguns dos disparates que lá dizem!
      Se a informação é muita, a desinformação é muito mais..

      Vê só este caso que acabei de encontrar: Transgénicos ajudam a reduzir emissões de gases de efeito de estufa

      Um abraço e obrigada

      Eliminar
    2. Manuela esse exemplo dos OGM é um clássico caso de propaganda pura e dura, basta ler a fonte da "informação"! O CiB é uma mera arma de propaganda de perfil corporativo (a demonstrar esta pesquisa que efectuei no sítio deles!), e como é evidente o seu negócio - LUCRO - é a biotecnologia e os OGM, e que eu saiba até hoje nunca vi ninguém desejar o fim da sua fonte de LUCRO - DINHEIRO! Pelo que nem ficaria surpreendido se eles afirmassem que os transgénicos são a salvação para a humanidade! Espera... Já afirmaram!
      "Considerações finais
      Do meu ponto de vista – Racionalista e Relacionista - tentar a sustentabilidade na Agricultura só
      é possível utilizando todo o nosso conhecimento - de uma forma eticamente aceitável - no desenvolvimento/selecção de novas variedades vegetais, capazes de garantir a quantidade e a qualidade de alimento necessário à subsistência da humanidade." fonte.

      Quanto ao relatório da BP, acho que erras ao considerá-lo "não fiável"! Se fizeres um cruzamento de dados com o relatório de 2000 e as projecções lá efectuadas para 2010 e 2020 verificas que a coisa não errou por muito! Além de que eles são uns dos dominadores do mercado da energia pelo que os seus relatórios retratam o que eles esperam do seu próprio negócio, e como tal, se as projecções são boas para eles, eles mostram-nas, e até agora não têm falhado por aí além! De resto o consumo de cravão/petróleo/gás só vai diminuir devido a duas causas: Ou esgota, ou o custo de extracção/exploração supera os proveitos e/ou margem LUCRO muito reduzida! Foi isto que aconteceu para já no Árctico, por isso é que por agora eles não avançam para lá em força pois ainda não temos a tecnologia para operar naquelas zonas de forma LUCRATIVA! Mas basta esperar os tempos que os engenheiros já estão a fazer pela vidinha!

      Abraço
      VOZ

      Eliminar

Obrigada por visitar o blogue "Sustentabilidade é Acção"!

Agradeço o seu comentário, mesmo que não venha a ter disponibilidade para responder. Comentários que considere de teor insultuoso ou que nada tenham a ver com o tema do post ou com os temas do blogue, não serão publicados ou serão apagados.