segunda-feira, 6 de maio de 2013

Sementes da liberdade (Seeds of Freedom - em português)

"A agricultura global tem mudado mais na nossa vida atual do que nos dez mil anos anteriores. Mas, como toda a mudança, fez surgir conflitos de interesses. Em nenhum outro lugar esse conflito é mais pungente do que na história da semente.

Neste filme iremos olhar como a semente tem mudado na agricultura e na nossa cultura. De um alimento sagrado e criador de vida para uma mercadoria poderosa, usada para monopolizar a produção global de alimentos. Este conflito entre agricultores e empresários, entre conhecimento e controle, entre a verdade e a propaganda, encontra-se no coração da história da semente.
(fonte: extraído do filme)

Não perca este documentário, agora em português do Brasil, e que já aqui foi publicado na sua versão original, narrada por Jeremy Irons. Um filme de Jess Philimore produzido por The Gaia Foundation  African Biodiversity Network (ABN), em colaboração com  MELCA Ethiopia, GRAIN International & Navdanya International.


Sementes da Liberdade (Seeds of Freedom - Portuguese) from The ABN and The Gaia Foundation on Vimeo.

"Lembre-se, você vota no sistema alimentar cada vez que faz compras. Compre alimentos locais, biológicos e da época. Apoie os mercados de produtores locais e as lojas independentes
(fonte: extraído do filme)

Saiba mais sobre soberania alimentar em www.seedsoffreedom.info

6 comentários:

  1. Querida Manuela Araújo,
    O homem com a sua "ganância" vai acabar com a Terra...
    A "Globalização" acelera o processo!
    Beijinhos amigos e solidários.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá amigo Luís!

      Desta vez, vou discordar um pouco de si... não acho que o Homem vá acabar com a Terra, vai é no caminhos de fazer com que a Terra acabe com o Homem! E concordo totalmente na parte de que a Globalização acelera o processo.

      Beijinhos e obrigada pela visita :)

      Eliminar
  2. Olá!

    parabéns pela sugestão,

    O filme será exibido em algum lado, tipo sala anfiteatro ou associação?

    Obrigado
    Carlos Faria

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá Carlos Faria

      Não tenho conhecimento de alguma exibição pública, mas é uma ideia a ponderar!

      Obrigada e bem vindo

      Eliminar
  3. Excelente filme Manuela,

    Infelizmente, depressa as grandes multinacionais perceberam que o controlo alimentar é tão ou mais importante que as fontes energéticas e estão conscientes que o controle das sementes é fundamental.

    A variedade alimentar é preterida em nome da uniformização, conservação e outros parâmetros, esquecendo o sabor e as qualidades intrínsecas. Existem (existiam) 240 variedades de maças, quantas vimos actualmente no mercado? Apenas meia-dúzia.

    Os agricultores já não tem a liberdade de cultivar os seus próprios produtos, as sementes são compradas e controladas pelas multinacionais como Monsanto.

    Os OGM (promissores!?) necessitam de pesticidas produzidos pelas empresas ou empresas colaterais que controlam as sementes resistentes a várias pragas, justamente à inibidas pelos dos pesticidas que temos de comprar.

    Nestas condições não é de estranhar o cada vez mais elevado número de pessoas sujeitas a alergias, a fraca qualidade alimentar fez disparar nos últimos anos as pessoas com cancro.

    Um beijo

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá Octopus

      É uma pena e uma grande tristeza a extinção de variedades locais a que temos assistido nas últimas décadas, e como diz o Luís, acelerada pela globalização!

      Para além dos OGM que precisam de pesticidas, ainda temos OGm que são eles próprios os pesticidas (Bt).

      Tudo em prol do lucro das grande corporações que afincadamente decidiram controlar a produção de alimentos: o caminho mais óbvio para dominar o mundo!

      Como diz, não admira a escalada de cancro e outras doenças a que temos assistido, pois se andamos a ingerir venenos...

      Muito obrigada pela visita, e um abraço

      Eliminar

Obrigada por visitar o blogue "Sustentabilidade é Acção"!

Agradeço o seu comentário, mesmo que não venha a ter disponibilidade para responder. Comentários que considere de teor insultuoso ou que nada tenham a ver com o tema do post ou com os temas do blogue, não serão publicados ou serão apagados.