sexta-feira, 11 de Março de 2011

"Permacultura para crianças" e para adultos também

O texto que se segue consta da primeira parte e da parte final de uma mensagem publicada no blogue Cultivar Biodiversidade e Permacultura, em Dezembro passado. Um excelente blogue, e um excelente post, que, apesar de um pouco longo, merece ser lido de princípio ao fim (ligação no título), para o entendimento da permacultura. 


A Permacultura é um conjunto de ferramentas e um processo para criar uma maneira de viver de forma sustentável, integrados nos nossos ecossistemas e nas nossas comunidades. É baseada na observação da Natureza e em fazer as ligações entre as disciplinas e sobre a história e processos, com o objectivo de satisfazer as necessidades humanas, deixando a terra mais saudável e abundante para as futuras gerações e as outras formas de vida.

Sistemas climáticos, agricultura sustentável, jardinagem, floresta, eco-construção, energias renováveis, a leitura da paisagem, comunidades e habitats, sistemas ecológicos de regeneração, sistemas alternativos de água e resíduos, restauração ecológica da paisagem, artes e ofícios de subsistência, economias alternativas,  recriação e reciclagem e mais ...

Este programa único vai proporcionar um ambiente no qual cada criança pode reacender sua conexão inata com a natureza de uma forma inspiradora,  divertida e segura.

Através de jogos baseados na natureza, actividades de artes e de orientação, as crianças aprendem conceitos e práticas de Permacultura e ética de gestão, a desenvolver uma relação íntima e pessoal com a Natureza, explorar, rastreamento na Natureza, espécies e ecologia da paisagem e do habitat, participar em actividades de percepção sensorial, a prática diária da natureza, desenho e pintura, e tudo com muito jogo, brincadeira e divertimento. Eis o que a programação diária será, em geral.

Se procura uma maneira de envolver as crianças no respeito e vivência na Natureza, nada melhor que ensinar a Permacultura. Os 12 princípios da Permacultura como definido por David Holmgren são lições maravilhosas e podem ser incorporados em quase qualquer currículo. Se você tiver um jardim da escola ou não, tente imaginar esses princípios integrados na sua classe. Eles podem ser transmitidos directamente ou utilizados como ferramentas em acções práticas para ensinar às crianças, ensinando pelo exemplo.

 1. Observar e interagir - Ao ter tempo, abertura e disponibilidade para envolver com a natureza, podemos criar soluções que atendam a nossa situação particular.

 2. Captura e armazenamento de energia - Com o desenvolvimento de sistemas que recolhem recursos quando eles são abundantes, podemos usá-los em momentos de necessidade.

 3. Obter um rendimento - Certificar que estamos recebendo recompensas verdadeiramente úteis, como parte do trabalho que se está fazendo.

 4. Aplicar a auto-regulação e aceitar o retorno - Precisamos desencorajar a actividade imprópria para assegurar que os sistemas podem continuar a funcionar bem.

 5. Uso e valor de recursos renováveis e de serviços - Fazer o melhor uso da natureza é a abundância de reduzir o nosso comportamento de consumo e dependência de recursos não-renováveis.

 6. Não produzir resíduos - Ao valorizar e fazer uso de todos os recursos que estão disponíveis para nós, nada se perde.

 7. Design de padrões para detalhes - Olhando de cima, podemos observar padrões na natureza e na sociedade. Estes podem formar a espinha dorsal dos nossos projectos, com os detalhes preenchidos e enriquecidos.

 8. Integrar ao invés de segregar - Ao colocar as coisas certas no lugar certo, desenvolvemos relações entre as coisas e capacitamos para trabalhar em conjunto no apoiar uns aos outros.

 9. Usar soluções pequenas e lentas - sistemas pequenos e lentos são mais fáceis de manter do que os grandes, fazendo melhor uso dos recursos locais e produzindo resultados mais sustentáveis.

 10. Uso e valorização da diversidade - Diversidade reduz a vulnerabilidade a uma série de ameaças e aproveita a vantagem da natureza única do ambiente em que está.

 11. Use as margens e o valor marginal - A interface entre as coisas é onde a maioria dos eventos interessantes acontecem. Estes são muitas vezes os elementos mais valiosos, diversificados e produtivos no sistema.

 12.Usar a criatividade para responder à mudança - Podemos ter um impacto positivo na mudança inevitável observando cuidadosamente, e depois intervir no momento certo."

(...)

"A nossa geração está apenas a despertar para a necessidade de avançar para uma nova direcção cultural, afastando-se do conceito que "a terra pertence ao homem", para o conceito de que "a humanidade pertence à terra". Estamos apenas começando a viagem. Vamos chegar tão longe quanto pudermos, aprender tanto quanto possível, estabelecer o quanto podemos e passá-lo para as crianças.

Estamos apenas a começar, mas podemos começar por algum lado, começar onde estamos, atrair outras pessoas, partilhar recursos, os excedentes e os terrenos que podemos ter. Divertir com tudo isso, conhecer novos amigos. A vida é uma viagem, é o tempo para o próximo capítulo. Vamos para fora encontrar a nossa comunidade ou tribo. Combinar o que temosde habilidades, energia, terra, dinheiro, ou em casa para uma atitude mais positiva e construtiva. Pensar do lado de fora da caixa, para na verdade nos livrar da caixa."

8 comentários:

  1. Programa interessante! Penso que é pelas crianças que se deve começar e acho que nesse aspecto até se está a fazer um trabalho razoável. As crianças são muito mais amigas do ambiente do que nós adultos. Um beijinho e um bom fim de semana
    Emília

    ResponderEliminar
  2. É de facto nas crianças que devemos focar as nossas atenções nestas matérias que envolvem a sustentabilidade do nosso querido planeta.
    Não que "burro velho não aprenda línguas", porque eu acredito que se pode sempre aprender até morrer, mas porque de facto se conseguirmos que toda uma geração entenda a mensagem e ponha em prática estes bons ensinamentos, estaremos no caminho certo para salvar a Terra.

    Excelente post, Manuela.

    ResponderEliminar
  3. oi to chegando aqui agora e venho pra ficar e buscar somar conhecimentos e disseminar aos que estão a minha volta e através também do meu blog ( tem um pouco de tudo ) sou prof aposentada e trabalhávamos muito a questão ambiental bem antes de se tornar latente e imprescindível como agora. Lembro de uma aula em que a prof de educação física levou os alunos pra fora da escola onde tinha árvores frondosas e com um estetoscópio um a um ouvia a vida correndo dentro dela através da água que a nutria. Achei lindo a aula prática. bj de luz por um mundo melhor pra todos.
    seja bem-vinda quando puder aparecer em meus domínios ok

    http://rosasta.blogspot.com/

    ResponderEliminar
  4. Emília

    Este trabalho julgo que está a ser desenvolvido em Sintra, mas penso que será como um rastilho e se espalhará pelo país. É uma iniciativa louvável e de futuro!

    Beijinhos e boa semana :)

    ResponderEliminar
  5. Olá Eduardo

    Concordo, é nas crianças que temos de apostar mais, mas também temos de acreditar que os adultos podem aprender, porque aprendem. Têm é de entender que precisam de desaprender muito do errado que aprenderam, por isso custa mais.
    Obrigada, mas os créditos são para quem está a desenvolver este projecto, do blogue BiodiverCidades (Cultivar Ideias)

    Um abraço

    ResponderEliminar
  6. shan-Tinha

    Obrigada pela visita e pelas belas palavras do seu comentário.

    Em breve visitarei o seu blogue.

    Uma boa semana :)

    ResponderEliminar
  7. Manuela:
    Ontem fartei-me de tentar comentar, por isso a ver se é hoje...

    Fiz recentemente um workshop de permacultura e, por isso, o que aí está explicado já não me é completamente estranho (obrigada a ti por mo teres indicado e ao João Jorge que nos explicou tudo como a crianças grandes!!!), mas confesso-me uma perma-inculta e, acima de tudo, alguém que está em transição para a Transição para um modo de vida mais simples e uno com a Natureza.
    O trilho não é fácil de seguir para quem já traz muita bagagem (cultural e mental, além da material!), mas a mente aberta das crianças, sem preconceitos e tão mais absorvente que a nossa, permite que esses seres fantásticos, com uma plasticidade cerebral enorme e uma capacidade de observação e curiosidade ímpares (ainda bem que alguns de nós ainda mantém a curiosidade!!!), torna-os perfeitos para apre(e)nderem o que é Permacultura.
    Acredito que eles são o caminho!
    Obrigada pelos teus constantes alertas e por todo o cuidado que tens em mostrar-nos o que acreditas nos interesserá, tal como fizeste comigo e com o Transição e Permacultura em Portugal (http://permaculturaportugal.ning.com/group/transitionportugal).
    Uma boa semana amiga! :-)

    ResponderEliminar
  8. Muito interessante esse post! Fala-se tanto da necessidade de deixar um planeta melhor para nossos filhos e esquece-se da urgência de deixar filhos melhores para nosso planeta. As crianças de hoje são o futuro de amanhã!

    ResponderEliminar

Obrigada por visitar o blogue "Sustentabilidade é Acção"!

Agradeço o seu comentário, mesmo que não venha a ter disponibilidade para responder. Comentários que considere de teor insultuoso ou que nada tenham a ver com o tema do post ou com os temas do blogue, não serão publicados ou serão apagados.